segunda-feira, 31 de agosto de 2015

O estranho caso dos cavalos polacos.


Há milhentas charretes a passear turistas.* Os cavalos não trazem rede. Não há coco na rua.

(...)

Não imaginais o meu desassossego com isto!

*Nunca percebi o fascínio por tal passeota, mas, pronto, por mim tudo bem...

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Mas que era uma tatuagem horrenda concordámos desde o primeiro momento....

[NM] Mas eu estou a ver bem?? Aquela mulher tem o Noddy tatuado no braço?


[Estimado homem] O Noddy?!!!.. Não é nada... É um golfinho.


[NM] É o Noddy!... Então não vês o gorro? Está de lado, a olhar para a esquerda...

[Estimado homem] Achas??!!! Isso a mim parece-me o dorso de um golfinho a saltar para a água, para a esquerda...

[NM] Ahhh... Pois, também pode ser...

[Estimado homem] Ah... Já vi o Noddy... Aliás, agora só vejo o Noddy.

[NM] E eu agora já só vejo o golfinho...

(...)

Pois é meus amigos...  Aquilo... Das duas uma, ou era um golfinho ou um Noddy muito mal feito, ou era uma cena muito à frente...




Não gosto de andar nua.

Em toda e qualquer situação. Mesmo estando sozinha em casa. Mesmo estando no meu quarto. 

Não gosto de andar nua porque me sinto despida.

Pronto, por agora é tudo... Foi só mesmo para partilhar.

domingo, 23 de agosto de 2015

Era um homem tão careca, tão careca, tão careca que...

- Olha mãe, um "sinhôr" com cabeça de Mundo!

(...)

Eis o tal do "Mundo":


E o " sinhôr" que tinha uma cabeça tão lustrosa, com umas manchas aqui e ali... Era um "sinhôr" com cabeça de Mundo, era sim senhora. 

E o esforço que eu faço para não me partir a rir com estas xico-espertices, senhores...


[NM] Jr.! Vai depressa lavar os dentes.

[Jr.] Eu não sou o Jr., eu sou o Homem de Ferro.

[NM] Homem de Ferro! Vai depressa lavar os dentes.

[Jr.] Não posso.

[NM] E não podes porquê?

[Jr.] Porque os dentes me enferrujam, não achas?!

(...)

Assim não há condições! 

Há aquelas que são confundidas pelos filhos em fotografias de supermodelos...

E depois há aquelas que...


... E depois o Baby esticou o dedinho e disse orgulhoso "Ma-mã!!"

(...)

Mas tendes de concordar que é uma espécime bem charmosa... Quiçá a Gisele Bündchen lá da espécie dela!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Eu também li livros muito fixes nas férias. Só que não.

É claro que para as minhas férias tinha de ter escolhido o thriller mais emocionante de sempre. 

Sim, sim... D-E- -S-E-M-P-R-E.

É que nem eu fazia a coisa por menos!


Agora a sério?! Eeeeerr... Pois!


"Plausível"?? 

"Plau..." (...) "... sível"???!!! 

Nem sei se ria, se chore... Se processe os tipos do The Guardian!


Quando andava no liceu tinha uma colega que era uma cabra de primeira apanha...

Mas apregoava aos setes ventos que os outros só implicavam com ela por ela ser pobre e morar na aldeia e mesmo assim conseguir tirar boas notas.

#eoargumentomaisfacilsoquenao

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Ah pois... Mas os Doces de São Gonçalo ninguém promove, não é?



Assunção Cristas na festa do Pontal, em Quarteira, com Patrícia Fonseca, candidata do CDS por Santarém

O vídeo possível.

1. Foi ontem enquanto estava a dar o jogo do Sporting, tentativa única e por isso tende lá paciência.

2. Quando lhe pergunto como faz o macaco ele insiste em apontar para a televisão e dizer "Bóia!", i.e. "Bola!". Vou-me abster de tecer conjecturas adicionais. (Não, não sei se o JJ apareceu na imagem.)

3. A primeira vez que lhe pergunto como faz o gato, responde-me com um impetuoso "Oooh!" e com uma expressão mesmo surpreendida... Acho que não se percebe muito bem a intenção só com o áudio, mas foi qualquer coisa como "Também tu Brutus?!"

4. A segunda vez mostra-me a mão e diz "Mão!". Aprendeu ontem a dizer isso e nós elogiámo-lo muito... Há quem assobie para o lado quando lhe fazem uma pergunta inoportuna e depois há o Baby que mostra que sabe dizer "Mão!"... Também está bem... Insisto no gato e ele sai do meu colo a espernear e esbracejar e vai embora a dizer sons tontos...

video

 (E eu rio-me... Não devia, ora não? Não estou a ajudar nada nesta cena dele, ora não? Mas pronto... A partir de hoje eu comporto-me... Não me volto a rir e só lhe volto a falar em gatos depois dos 15 anos... Estará bem assim? Irei a tempo de remediar a situação?)

Do meia-leca do Francisquinho.

E ainda da necessidade de comunicação do Baby... E da sua altura, já agora!

[Baby, para o casal da mesa ao lado numa esplanada] Oiá!

[Senhora] Olá!...  Estás bom?

Baby sorri e acena que sim com a cabeça.

[Senhora] Estás de férias com os papás e o mano, é?!

Baby volta a acenar que sim (mesmo sem perceber nada do que lhe tinham dito).

[Senhora] Como é que tu te chamas?

Baby aponta para si próprio e faz: "Mmmmm!"

[NM, a não querer passar por mal encarada] Chamas-te "Baby", não é?

[Senhora] Bonito nome... Mas olha, tu ainda não falas ou estás com vergonha?

[NM, simpática] Ainda não fala...

[Senhora] Quantos aninhos é que ele tem?

[NM] Faz precisamente hoje dezoito meses.

[Senhora] Ui...

[Senhor, que até então olhava por cima do jornal] É da idade do Franscisquinho... Deve ter é mais uns 20 centímetros que ele...

[Senhora] Pois é... Ahahahahahahahah... Córror!...

(...)

Oi??? "Córror"?!???!! 

(...)

E depois, na minha mente e qual cena da Ally McBeal, o Baby começava a falar e dizia "Córror o caraio, pah... E o gato faz Miau!, ouviste? Mi-au!... Vai lá perguntar ao Francisquinho se sabe mazé..." e eles iam-se embora cabisbaixos e quando olhavam para trás o Baby apontava-lhes o dedo e dizia: "In you face, loosers!!" e nós ríamos muito.

(...) 

O que aconteceu na realidade? Arregalei muito os olhos e fiz um meio sorriso condescendente... Foi o suficiente. Dizem-me que tenho uma cara muito expressiva. Acho que é verdade.







terça-feira, 18 de agosto de 2015

"E a água do banho? Já está pronta?"

- Já... Até já tem os barquinhos para eles brincarem e tudo... Ai espera... Afinal não... Afinal são sapatos!



É que é uma espécie de revirar de olhos, mesmo, mesmo engraçada... Pena ainda não ter conseguido um vídeo de jeito!


O Baby adooora exibir-se. Nada a fazer, é mesmo dele, gosta de ser o centro das atenções e gosta de fazer rir. E é que o miúdo tem mesmo muita piada, não é por ser meu filho, mas por onde passa (e com quem interage - toda a gente, portanto) deixa um rasto de sorrisos e gargalhadas. Uma amiga minha diz que ele emana boa onda... E é verdade. Ora ri à gargalhada, ora sorri charmoso, ora chama, diz adeus, diz olá, dança, esconde-se para aparecer do nada e fazer um "cucu!" exuberante... Enfim, faz a festa ele sozinho! 

Uma coisa é certa, onde quer que estejamos com ele, despercebidos é que não passamos. E não é que grite ou chore ou se porte mal... Não, ele percebe tudo o que se lhe diz e simplesmente, qual animal social, vai ter calmamente com as pessoas e começa a interagir. Mas também é verdade, que se eu o for buscar para não estar a incomodar ninguém, ele vem sem armar chinfrim, logo que a partir daí tenha atenção completa da minha/nossa parte ou se lhe dê alguma coisa para comer: "PUUUUM!" (i.e. "Pão!", mas ele fala com tal entusiasmo que parece que não come há três dias - ainda que tenha acabado de comer um prato de massa... E uma sopa... E uma banana e três bolachas!). Sem comunicar (ou sem comer) é que ele não se fica.

Mas o que ele gosta mesmo, mesmo, de fazer é de imitar animais... Quando estou com ele e encontro alguém conhecido, é certinho e direitinho que não vou embora sem que ele faça um sonoro "Ão-Ão!". Para quê? Para que eu diga que ele está a imitar um cão e para que lhe pergunte como fazem outros animais e ele poder dar o show dele. E a verdade é que ele sabe o som de imensos... O passarinho, o pato, o galo, a vaca, a ovelha, o macaco, o gorila, a cobra, o cavalo, o porco, a coruja, o lobo, o leão e o tigre e o urso [faz um Grauu! delicioso com as mãos para estes três], o peixinho [abre e fecha a boca...]. Enfim, sabe bastantes, as pessoas ficam impressionados e elogiam-no, coisa que ele a-do-ra! Beijinho-beijinho e vamos à nossa vida, ele com a satisfação de missão cumprida e com o ego compostinho.

Mas aqui neste show do como-é-que-faz-o-bichinho há sempre um grande problema, uma enorme pedra na sandalinha tamanho 22 desta criança... É que... Bom, há que dizê-lo com frontalidade... O Baby, não sabe como faz o gato! Ele saber sabe, mas não consegue verbalizá-lo. Não sei se é do "Mi", se é do "i", se é o facto de ter duas sílabas... Não sei... Só sei que há imenso tempo que lhe ando a dizer que o gato, que ele vê quase todos os dias, faz "Miau!" e ele não consegue repetir...  É que não lhe sai mesmo nada, com a desilusão estampada na cara...

E isto é um problema porquê? Porque em 99% das vezes, quando veem que ele gosta de imitar animais (e como ele começa sempre pelo cão) as pessoas perguntam-lhe como faz o... Tcharan!... Gato!... E ele olha sempre para mim com um ar muito aflito e faz uma espécie de revirar de olhos que me faz desatar à gargalhada... Fica então muito ansioso a olhar-me fixamente, começa aos pulinhos muito agitado, "Mmmmmmm!", com os lábios muito cerrados, mesmo mesmo como quem diz: "Por favor mãe, rápido, salva-me desta vergonha e pergunta-me os 593 que eu sei..." E lá começo eu a perguntar a longa lista dos que ele sabe, resgatando-lhe o ego lá da escura e fria catacumba dos "Miaus!".

Ainda ontem o empregado de uma pastelaria que frequentamos chorava a rir com esta história... O Baby foi ter com ele [aquilo estava quase vazio e ele já os conhece], disse-lhe: "Olá!", "Olá, estás bom?", acto contínuo o pequeno faz "Ão-Ão!" (pronto para começar o show), diz o empregado: "Ai sabes como faz o cão? Muito bem... E o gato? Como faz o gato?", perante esta afronta o Baby vira costas todo zangado, vem ter comigo de cara muito séria, pede colo e aponta para o empregado. Levo-o lá a ver o que se tinha passado. Mal chegámos junto do empregado diz o Baby alto e bom som: "ÃO-ÃO!"... Adivinhei o que tinha acontecido... "Muito bem! E o pato?", "Quá-quá!", responde ele orgulhoso, "E o lobo?", "Aúuuu!", "E o gorila?", "Ú-ú-ú!" [enquanto bate com os punhos no peito], "E o macaco?", "Á-á-á!" [enquanto faz conchinhas com as mãos debaixo das axilas], "E o galo?", ..., nisto o empregado pergunta: "E o gato? Como faz o gato?"... Silêncio... O Baby olha para mim... Faz aquela espécie de revirar de olhos... Suspira... Acena que não com a cabeça... Deita a cabeça no meu ombro e aponta-me em direção da porta... Dava-se por vencido. Já nada mais havia ali a fazer, mais um dia que fora derrotado pelo diabo do "Miau!".

(...)

Algo me diz que quando, finalmente, conseguir me vou fartar de ouvir "Miaus!"...

domingo, 16 de agosto de 2015

Da genética de sacudir a água do capote...

[Estimado homem] Irra... O Jr. está cada vez mais refilão... E depois tem resposta para tudo.

[NM] Ahahahahahahahah Igualzinho a ti! Mas igualzinho, igualzinho.... Só estás a provar o sabor dos teus genes, mais nada!

[Estimado homem] E agora a culpa é dos meus genes, queres ver?

[NM] Então é dos de quem?!!

[Estimado homem] Dos do meu pai, que foi ele que mos passou a mim...

(...)

I rest my case!

sábado, 15 de agosto de 2015

Random.

Em treinos.

Living on the edge.

Um dia fiz um teste numa revista e deu-me que se fosse um desenho animado seria o Sponge Bob... Pronto... Por mim tudo bem...

Gaivotas em terra, barcos na lota.

Serviço público: Para entreter os miúdos enquanto esperam há uns saquinhos com puzzles muito pequenos e leves. Trago sempre um na carteira. 
2 (dois!) €, na note.

"Deixa, que eu já pergunto aqui a estes se viram o meu sapato."

Estar com a nuvem.

A educadora tem razão, esta criança não dá trabalhinho nenhum... É só deixá-lo fazer o que lhe dá na real gana!

Dolce faire niente: iniciação.

Snif, snif... Saudades!

As cores! As cores! Afinal não foi nada daquilo que nos ensinaram... Na época medieval era tudo muito lindo...

... Havia crepes e tudo!

Crocs! Eu sei que não é calçado muito phyno, mas eu sou uma pessoa lavadinha e isto de chegar ao fim de cada dia e lavar o calçado dos miúdos agrada-me deveras. 

Banhos no quintal; Pantene que foi de improviso.

Amoras.

Fenómenos do Entroncamento.

Sopa em sólido e redondo.

Eu sentada. A ler. Sossegada. Para mais tarde recordar.

O saco de pipocas mais cool de sempre.

E aos trinta e cinco anos provei pela primeira vez m&m's amendoim. True story.












sexta-feira, 14 de agosto de 2015

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

I beg your pardon??

- Jr.! Tens as mãos imundas... Mas onde é que tu andaste, carai???!!!

- Oh mãe, disseste mal... Não é "carai" é "caraio".

(...)

Deixai-me... Ainda estou em taquicardia.

Espectáaaaculo!

Só que não.


Ou daí talvez sim. Pelo menos acalmaram os incêndios. Há três dias mal se conseguia respirar com a quantidade de cinza que havia no ar...

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Boys will be boys.

Agora nas férias, antes de deitar, tenho visto com o Jr. os pequenos capítulos deste livro.


Há três dias que estamos na parte do corpo. Há três dias que me pergunta três ou quatro vezes por dia como é que se chama aquela parte do esqueleto que protege o cérebro como se fosse um capacete:

- "Crânio, filho! Crâ-ni-o."
- "Aaah... Crânio... Pois é!"

Passado meia hora...

- "Oh mãaae... Como é que é o nome dos ossos da cabeça? Já me esqueci outra vez..."


Há três dias ensinei-lhe como se chama a bolinha preta no centro dos olhos. Disse-lho uma única vez. Nunca mais se esqueceu.

(...)

" Púuu-pila!"

E ri-se!

"... E o pai já me ensinou o que significa "pú" em inglês..."

E ri-se, e ri-se até se engasgar.

E é isto a minha vida!

"Olha mãe...."

"... ananases gigantes!"


Que é para verdes melhoooor...

Para quem está entre a praia de Matosinhos e a de Moledo...

Olhinhos bem abeeertos!