segunda-feira, 6 de abril de 2020

Grão a grão...


Até ao dia de hoje entreguei cento e onze viseiras à linha da frente da linha da frente. 
Não tenho grande mérito, não fiz uma única. 
Limitei-me a pedir e a entregar a amigos para distribuírem, quase à socapa, pelas suas equipas. 
Pedi a amigos, que, na impossibilidade de fazerem, pediram a amigos, familiares, conhecidos..., são os maiores!, pedi à OPO'Lab e à apt3d

Ninguém me quis um tostão!

Que tenhamos todos noção que são precisas milhares e milhares de viseiras. Médicos, enfermeiros, assistentes operacionais de todos os serviços, de todos hospitais e centros de saúde do país, precisam de viseiras. De todos os serviços? Sim. Nos "hospitais covid" faz-se teste a todos os tipos de admissões. Mesmo aos que acorrem ao hospital por terem partido uma perna? Sim. Os "não covid" (testes negativos) vão para enfermarias e áreas de atendimento de não infetados. Acontece é que, face ao aparecimento de alguns sintomas: tosse, p.ex., alguns internados repetem o teste e nalguns casos, surpresa, dão positivo. Porque foram infetados já no hospital? Porque entretanto a carga viral permitiu chegar ao limiar detecção? Ninguém sabe... O que é certo é que todos os profissionais de saúde estão em contacto próximo com potenciais infetados.

Os trabalhadores do INEM precisam de viseiras. As forças policiais também. Os trabalhadores de lares também.

Se têm uma impressora 3D, se conhecem quem tenha uma impressora 3D... Por favor passem palavra e produzam. Há muitas plataformas que organizam a recolha e distribuição. 

Estamos a falar de trabalho puramente voluntário pelo que também podem contribuir com donativos, inclusivamente de material (nalguns casos, só aceitam, exclusivamente, donativos de material).

Uma notícia sobre isto:

Da "quase clandestinidade" aos pedidos dos hospitais. Voluntários imprimem milhares de viseiras em 3D para médicos


14 comentários:

  1. minha querida NM, tu andas nisso? :) que coisa boa, pá! obrigada por ajudares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não fiz nada, que nem impressora tenho... Eu sou só intermediária... A dos connects! :D

      (Nem imaginas, flor... Vê o início da reportagem da RR, do link... É mesmo, mesmo, assim (nalguns hospitais, cada vez em menos felizmente). As administrações a recusarem material (por não ser certificado, suponho) e o pessoal sem ter nada, rigorosamente nada, para se proteger... É muito difícil para eles lidar com isto. Como se faz? Dá -se-lhes para a mão diretamente e eles usam e tudo bem...)

      Excluir
    2. (acredita, sei do que falas :(

      Mas a iniciativa privada tem sido louvável.

      Excluir
    3. ♥️♥️♥️♥️♥️

      Excluir
  2. Respostas
    1. Obrigada também a ti, à tua prima, à amiga da tua prima, ao colega da amiga da tua prima por fazer as viseiras e ao chefe do colega da amiga da tua prima por o ter permitido! É do caraças! :)

      Excluir
    2. 😘 é do caraças mesmo!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Fiz quase nada, ANM...

      Excluir
    2. Neste momento tudo conta, tudo é importante! Mais uma vez Parabéns a todos os que ajudaram.
      Aqui em casa há quem trabalhe num dos Hospitais do Porto e mesmo não sendo como médico, enfermeiro, assistente operacional...ou seja, mesmo sem ser na verdadeira linha da frente, nem sempre é fácil e é uma constante preocupação.
      Parabéns a todos os qur ajudam e fiquem bem.

      Beijinhos
      ANM

      Excluir
    3. Andamos todos com o coração nas mãos e sem saber muito bem o que podemos fazer para ajudar...
      Beijinhos, ANM.

      Excluir