domingo, 6 de março de 2016

Uma pessoa passa a semana entusiasmada, a alimentar expectativas....

A confiança em crescendo... "Agora sim damos a volta a isto", lá cantam os outros do "Fon-fon-fon só a tuba é que me dá ritmo". Agora sim se começa a reestruturar, a pensar nos problemas onde eles de facto existem, a ir ao fundo das questões e a criar metodologias sólidas e estruturantes. Medidas impactantes na vida das pessoas. Medidas que fazem a diferença. Um por todos e todos por um! Medidas que mostram que não andamos aqui a brincar e que nós nos preocupamos. Porque nós queremos saber! Medidas que nos marcarão como a geração, como o tempo, em que de facto se quis saber. Em que de facto se olhou para o lado e se estendeu a mão ao vizinho. É por estas e por outras que nos reconhecerão como um bastião temporal de resiliência, diligência e humanidade. Porque nós sabemos erguer a nossa voz. Sabemos dar o murro quando e em que mesa tem que ser dado. Medidas que de facto resolvem agilizam-se a nossos olhos. Medidas que fazem desprezar o tempo em que se perdia tempo com falsos problemas que é como quem diz nanogésimos (que é como quem diz cagagésimos, que estão ali taco a taco com os pintelhésimos, lá diz o meu estimado amigo RP) na escala de preocupação social.

Mas dizia eu.. Vai uma pessoa toda animada, segura e confiante, costas direitas, quando de repente...


Sábado, 05/03/2016, pelas 12:30, Arrábida Shopping.

- "Olá, boa tarde! Era um Happy Meal, por favor!"

- "Com certeza! De rapaz ou rapariga?"

Ora f@da-se!

8 comentários:

  1. E não pediste livro de reclamações??!
    A mim chateava-me imenso que a minha filha quisesse o brinquedo de rapaz, como já aconteceu diversas vezes, e não lho dessem.
    Já faltou mais para não nos podermos tratar pelo género, mais que não discriminar é dar oportunidade de escolha, o resto são tretas para as quais começo a perder a paciência.
    E escrevo isto entre uma máquina de roupa e a tábua de passar a ferro, enquanto o meu marido descansa os pés no sofá, de pantufas, que eu própria lhe calcei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livro de reclamações?? Não... Chamei a polícia.

      (E os nomes, carai?! Por exemplo... Porque é que um menino tem de ser João e uma menina Joana?! Ou então Maria João... Está mal!)

      (E agora tenho de ir que estimado marido reclama pelo almoço...)

      Excluir
  2. A mim nem perguntaram, olharam para o miúdo e pimba, pega lá a tartaruga ninja... Ainda lhe perguntei se queria a Kitty, mas ele disse que não...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não leves a criança ao psicólogo não... ;D

      Excluir
  3. HAHAHAHAHA

    Sabias que a tua última expressão era a alcunha do Ford Anglia em terras lusas?

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ora fuck, não fazia a mínima ideia... :D

      Excluir
    2. HAHAHA

      Já vi o Anglia acima!
      Eu explico o porquê da alcunha!
      A malta via o carro no Stand, começava a ver pela frente e até tinha umas linhas giras, continuavam e o interior até era interessante, mas quando se chegava à janela traseira...

      ...ora foda-se!

      Vai daí...

      LOOOOOOOOL

      :)

      Excluir
    3. Ahahahahahahahah ahahahahahahahah maravilhoso... :DDDDD

      Excluir