terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Eu gostava que alguém me explicasse isto à luz do bom senso e boa fé...

Vou à churrasqueira. Pago 10 cêntimos por uma tripa de um saco porque diz que aquilo é ácido cianídrico para o meio ambiente. Uma verdadeira arma química para os lobos ibéricos, ouriços cacheiros, licranços, cabras montês, castores, lontras, linces, pica-paus, leirões, garças brancas e cegonhas pretas.... Mas nada temais bicharada, nada temais, que a ecologia está no topo das prioridades de quem manda neste jardim à beira mar plantado.

Mas estava eu a dizer... Vou à churrasqueira, pago 10 cêntimos por um ranhoso de um saco porque lá está o ambiente e a ecologia e ai se não forem as pessoas do Estado a tomar conta da fauna e flora e não sei quê, mas limpar as florestas para prevenir os incêndios isso é que não... Saco esse que em menos de um ano se desfaz, mas bom...

Dentro do maléfico do saco o que é que transporto? Três recipientes de alumínio, pois está claro. E mais depressa regressam os dinossauros à Terra que aquela merda desaperece da sua face... Mas diz que alumínio não tem mal, o pior mesmo são os sacos de plástico.

E ir gozar com o real falo mais velho, não? Se queriam criar mais um imposto criavam... "Meus senhores, a partir de agora há um novo imposto... Mínimo de 10 cêntimos por compra. Muito obrigado e boa noite." Tau. Clarinho como a água... Pelo menos a malta sabia o que estava a acontecer.

Agora usar a ecologia e o ambiente como desculpa... Eh pah... Isso é feio, muito feio!

27 comentários:

  1. Tal e qual, uma desculpa esfarrapada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E nós a ver que não, e nós a ver que não...

      Excluir
  2. Pensei o mesmo quando passeando ao pé do rio "limpo" e de margens arranjadas, vejo o esgoto a nele cair a céu aberto. Ambiente, natureza, ecologia... pois sim.

    ResponderExcluir
  3. Acham que somos todos estúpidos, é o que é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas somos tão brandos Loira, tão brandos.... Papamos tudo, tu-do! A sério, eu não conheço outro povo como o nosso...

      Excluir
  4. É uma palhaçada. Olha eles é deviam levar no...saco, pois claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas estas, ao contrário das outras ;), não têm piada nenhuma.

      Excluir
    2. Ultimamente, deste governo, nasa tem tido piada. E tudo uma falsidade e incongruência.
      Olha as facturas. Criaram o sistema, alegadamente p combater a fraude e evasão fiscal, pois bem, eles estão a contabilozar como beneficio fiscal da saude artigos com 23% de IVA, entre outras pérolas. Se isto n é uma falácia, n sei o q será!
      É triste, é o q te digo, e eu agasto-me mto com isto.

      Excluir
    3. Eu vi o que escreveste no teu blogue Me... Pois... Tens razão em tudo.

      Excluir
  5. Mas... mas... mas... Não é porque os sacos poluem muito?? Ohhh Deus sinto-me enganada!!
    NM vá lá enganar outra, toda a gente sabe que o alumínio é biodegradável, em 3h já foi absorvido/decomposto e já se vêem os primeiros sinais da bonita árvore que ir surgir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O alumínio?! Ui... Nem imaginas I., foi provado há três quinze dias que aquilo é um fertilizante poderosíssimo.

      Excluir
  6. Outra maneira do Governo encher os bolsos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada disso S*... É pelo ambiente. Única e exclusivamente.

      Excluir
  7. Pipocante Irrelevante Delirante25 de fevereiro de 2015 14:15

    Ai não vão colocar um imposto sobre a carne embalada em couvetes de plastico, e garrafas de água? Eh pa, pensei que o governo andasse atento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não PID. Essas covetes também não poluem nada. Só os sacos plásticos. Os sacos plásticos é que são se evitar. De resto, tá-se bem.

      Excluir
    2. Não lhe dêem ideias, não?! Para ideias de bosta já chega!

      Excluir
    3. A questão não é essa, a questão é a incongruência da justificação para o imposto...

      Excluir
    4. Sim eu sei NM.
      Mas isso já estava mais que visto. Assim que em vez de fazerem previsões acerca do tipo de impacto no ambiente começaram a fazer previsões acerca dos ganhos com a medida deu logo para ver qual era a verdadeira atenção.

      Acho uma "piada" imensa ao facto da lei ter sido feita de tal forma que permite tantos subterfúgios às empresas (aliás como todas as leis, parcerias público-privadas e afins haverá sempre alguma empresa - ou várias - privadas a ganhar com as ideias mirabolantes do Estado, todos menos o zé povinho).
      "Adoro" o facto de a preocupação não ir também para outras áreas como a poluição de grandes empresas, dos carros topo de gama (que tal todos os indivíduos do Estado passarem a andar de bicicleta e carros electricos/hibridos), medidas para baixar os preços dos meios de transporte amigos do ambiente [nomeadamente baixar os impostos sobre os mesmos, promover medidas para que se tornem viáveis], medidas para a promoção de energias alternativas sem que as pessoas percam os possíveis beneficios, enfim, no fundo, medidas que fossem efectivamente estruturais que alterassem de forma significativa o mercado para terem um impacto real no ambiente e não somente uma medida para encaixar mais imposto.

      Excluir
    5. Tem razão anónimo... Tem carradas de razão...

      Excluir
  8. Ah, e ainda disso dos sacos, pq razão (e admito q possa mm estar a ser ignorante) a taxa depende do peso dos sacos? Entao mas aqueles onde se mete a fruta nos hiper's não puluem é?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estão isentos os sacos que estão em contacto directo com os alimentos... Ao comprares carne, por ex., não tens alternativa senão usar um saco. O mesmo para a fruta... Para pesares larajans tens de usar saco... Esses estão isentos e acho (acho, hã, que isto ninguém tem a certeza de nada, só vi falar em números...) que a lógica é mesmo esta.

      Excluir
    2. http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4400424

      Acho que tem mm a ver com a gramagem, o que ainda torna isto mais estúpido segundo o argumento "verde".

      Excluir
    3. Não Me, não tem só a ver com a gramagem... Os da farmácia, por exemplo, são taxados e aquilo é finíssimo. Um dos critérios para a isenção é estarem em contacto directo com os bens alimentares. Também não podem ter alças...

      Excluir
  9. Respostas
    1. Ainda bem que vieste cá corrigir que isto aqui não é a casa da mãe Joana. Rigor exige-se. :DDD

      Excluir