quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Tenho o cérebro bloqueado com esta merda...

Hoje da manhã "trilhei" o pescoço do bebé ao desapertar-lhe o fecho do casaco... Ficou mesmo com carne lá presa e eu demorei segundos a perceber o que tinha de fazer. Quase fez sangue. Fartou-se de chorar. Ficou com aquilo tudo negro.
 
(...)
 
Foda-se! Às vezes sou mesmo uma besta.

44 comentários:

  1. Se eu te contar que quase sacava a cabeça do dedo do puto, quando lhe tentava cortar as unhas, ainda ele só dormia e comia, melhoras? E que nunca mais cortei unhas a bebé nenhum, também?
    Vá, beijinho e festinha na mona, são coisas que acontecem, não é suposto, mas acontecem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh pah... Como é que é possível??... Estou com vontade de chorar desde aí... É que foi mesmo descuido... (Obrigada love...)

      Excluir
    2. Ou quando o meu João estava numa espécie de moto da Chico e aquela merda tomba para o lado (o puto estava sentado e seguro com uns cintos que aquilo traz) e bate com a boca no chão, dando cabo do freio no lábio superior e quase que me mata uma dentola?
      Ou quando lhe mandei com o comando na marmita?
      Opá, estava aqui o dia inteiro. Só não fico senão ainda me tiram os putos...
      Calma
      :)

      Excluir
    3. :)) sim, mas uma coisa são acidentes outra coisa é magoar porque se está a tratar deles e a pensar na morte da bezerra... Soa-me a negligência... :( Mas enfim...

      (A pior que me aconteceu com o Jr. foi ele todo querido meter-me um bocado de pão na boca e eu trincar aquilo com toda a força assim na brincadeira... Deu-se, no entanto, o caso de ele ter um dedinho escondido por debaixo do pão... Ui.... Dessa vez é que foi o bom e o bonito... )

      Excluir
    4. E quando, aos seis meses, encravei-lhe a unha do dedo grande do pé (sempre as unhas, nada a fazer) porque insistia em cortá-las pequeninas e redondinhas? Estás a ver as dores de uma unha encravada? Pois.

      Eu ganho-te, esquece lá isso.

      Excluir
    5. A ML já ficou sem o dente da frente (de leite).
      Atrás de um balão, pimbas! Saltou o dente.
      Fui com ela a zunir para a Estefania e uma médica que lá estava de plantão pediu-me o dente, disse para eu a agarrar e enterrou o dente no mesmo sítio. Só caiu 3 anos depois quando veio o definitivo. Nem preto ficou, mas a miúda ficou 3 dias sem comer por causa da ferida.

      Excluir
    6. Filipa, estou a ver que sim... Tu e as unhas... As unhas e tu... Relação complicada... :DD

      Excluir
    7. Uva... Colaram-lhe o dente, foi? (Tadita... Logo o da frente... Ninguém merece...)

      Excluir
    8. Enterraram-lhe o dente lá no buraquinho outra vez. Levei-o dentro de um saco com gelo e pimbas. Ela muito quietinha, aguentou tudo, o pior foi depois a ferida no lábio, na parte de dentro. Horrorosa... e não podem coser, teve de sarar por si.
      Foi a partir desse dia que deixou a(s) chucha(s).
      (agora anda no vai-não vai para ver se precisa de aparelho porque o dente demorou horrores para nascer. A ML esteve praticamente dois anos - ou mais - sem os dentes da frente definitivos)

      Excluir
    9. Enterraram-lhe o dente e aquilo sarou assim? ahahahah Brutal caraças!

      (Esta que te escreve... dois anos de aparelho... zero recordações boas... Mas bom... já tinha 21, é diferente...)

      Excluir
  2. Uma vez, larguei o macaquito 5 segundos (foram mesmo 5 segundos para apanhar qualquer coisa do chão) em cima da cómoda, sentado embrulhado na toalha do banho, ao tentar soltar-se da toalha, caiu. Partiu a clavícula mas o mais grave é que só dei por isso cerca de uma semana depois, visto que ele nunca se queixa que dói. Percebi que qualquer coisa não estava bem ao vestir-lhe qualquer coisa mais apertado e ele encolhia o braço.
    Sinto-me, até hoje, a pior mãe do mundo.... como não percebi que se tinha magoado??!
    Espero que te faça sentir melhor :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh Be... Mas se ele não se queixava...

      Excluir
    2. Sim... e isso do fecho foi um acidente. Dá-lhe beijinhos, muitos... vai fazê-lo sentir-se melhor e a ti também ;)

      Excluir
    3. Dei logo... Carradas de beijos....

      Excluir
  3. Mas foi sem querer... isso passa vá lá, não amofines com isso.
    A ML caiu com a boca no chão mesmo à minha frente porque não a agarrei a tempo (e fui eu que a empurrei sem querer com um joelho) e tem lá a marquinha na boca (pequenina mas tem) e olha que meteu hospital e sangue e tudo.... foi horrível.
    Fiquei doente muitos dias, mas foi um acidente, a miúda meteu-se à minha frente e eu nem a vi... era pequenita pah... credo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yep... Imagino... O ano passado uma amiga minha também caiu para cima do filho... Enfiou o salto da bota num buraco do passeio e catrapumba para cima do puto... O miúdo partiu uma perna. 15 meses e de perna partida e a mãe um caco, claro...

      Excluir
  4. Que me lembre "só" (como se um único acidente pudesse ser considerado "só") tive dois acidentes mais graves com a Mironinho e lembro-me dos dois como se fosse hoje. O primeiro, teria ela cerca de um mês, aconteceu quando decidi ir com ela ao supermercado que existe nos rês do chão da nossa casa. Vinha carregada com dois ou três sacos de compras e a minha carteira (xxl e já na altura carregada de tralha). Para abrir a porta pendurei os sacos e a carteira no carrinho, mas com o peso ele virou. Dei um grito tão grande que as senhoras das lojas ao lado vieram ver o que se passava. Felizmente o ovinho protegeu-a e ela nem se apercebeu do que tinha acontecido, mas eu fiquei a tremer tanto que tive de pedir ajuda para meter a chave á porta. Foi horrível e serviu de lição.
    O outro acidente aconteceu teria 2 anos acabados de fazer. Era inverno e estava muito frio por isso ela estava um autêntico bonequinho michelin, enchouriçada em camisolas e kispo. Os elevadores da nossa garagem não ficam ao nível do chão, estão num patamar com um degrau. Nesse dia estava à espera do elevador, mais uma vez carregada com a minha carteira e o saco das roupas/fraldas dela e ela estava ao meu lado, sem querer dei-lhe um encontrão com os sacos e ela caiu de costas, desamparada, de costas para o chão. Felizmente os casacos e fralda absorveram a queda e como estava com o capuz do kispo penso que nem chegou a bater com a cabeça no chão. Por causa disso, ainda hoje, já com 5 anos, tenho uma atenção triplicada quando espero com ela pelo elevador da garagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felizmente nada de mal aconteceu... Credo... Os pitos dão cabo de nós... (Ou nós deles já nem sei!)

      Excluir
    2. *os putos, claro!

      (Pfffffff.... Ahahahahahahahah ahahahahahahahah)

      Excluir
    3. Eu estranhei nê...
      Loooool

      Excluir
    4. Ainda bem que corrigiste :DDDDDDDDDDDDDDDD

      Excluir
  5. Eu fiz o mesmo ao meu mas com a mola do body interior, para além disso tb lhe fiz sangue a cortar as unhas, arranquei-lhe uns poucos cabelos este carnaval a tirar-lhe o capacete do astronauta..... and so on....
    Dá-nos vontade de chorar pois dá...

    ResponderExcluir
  6. Oh... um beijinho, acho que precisas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Loiraça... (Acho que já preciso um bocadinho menos... a blogo malta já me animou um bocado... Sempre bom saber que não estamos sozinhas na azelhice e pronto nada de muito grave aconteceu... )

      Excluir
  7. Acontece a todas.
    Uma vez, para a minha filha não cair nas escadas agarrei-lhe o braço de tal forma que tivemos que ir para o hospital.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahahahahahahah ahahahahahahahah ahahahahahahahah oh pah desculpa... mas isto terá algum jeito? Porem-me a rir à gargalhada num post destes... Ahahahahahahahah pobres crianças.. (Desculpa ana... Desculpa desculpa...)

      Uma vez o Jr estava sentado num sofá com armação de madeira... A minha mãe estava sentada no antebraço e eu dizia-lhe para ela ter cuidado, muito cuidado, que o miúdo ainda caía dali... Ela já meia aborrecida por achar que eu não estava a confiar nela lá me dizia para não me preocupar que estava tudo controlado.. Passado um bocado o miúdo faz o jeito de se atirar do sofá. Eu faço gesto abrupto de quem o vai segurar. A minha mãe toda irritada diz "Olha caraças!" e levanta o pé do miúdo para me mostrar que o esteve sempre a segurar pelo tornozelo... Mas mal lhe levanta o pé... O puto "Tóim!"... Cabeça com toda a força contra a armação do sofá... Ahahahahahahahah ahahahahahahahah Ainda hoje me parto a rir cada vez que me lembro desta história...

      Excluir
  8. Bem... eu entalei a pilinha do meu rapaz no fecho de uns calções...
    Tinha ido com o pai à praia e o senhor pai vestiu-lhe os calções sem cuecas porque o miúdo as tinha molhado.
    Eu não sabia... na hora do banho, jás... puxo o fecho com toda a força. Pele entalada no fecho, sangue por todo o lado e o puto aos berros que ia morrer...
    Um horror.. Ainda hoje quando me lembro me dói a alma.
    Acontece, são acidentes, mas não deixamos de nos sentirmos mal com isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outch! (Sangue?? Caraças pah.... Um abraço... )

      Excluir
  9. Só não parte nada quem não faz nada...ajuda? Não! Pronto, Acontece as melhores! Ele há de crescer com o medo de apertar o "dito cujo" no fecho-éclair das calças e mais nada...:)))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E olha que trilhando o dito... Um homem fica pronto para muita coisa na vida... :)

      Excluir
  10. Oh querida... Beijoquinhas!
    Poe arnidol que ajuda. A M. aleijou-se desse modo e com o arnidol não ficou com marca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diz-me que foste tu que a magoaste... :D

      Excluir
  11. Um primo do meu gajo, q tem hoje 40 e poucos, teve a pilinha presa com alfinete de ama um granda tempão. Ainda minutei dia a mae dele contou a história, q ele chorava, chorava e ela intrigada coitada, qd lhe foi mexer na fralda (na altura de pano, né) é q viu q tinha espetado o alfinete de ama na pilita do puto...ele é um adulto normal :) nós é q gozamos e dizemos q qd vai ao wc aquilo sai por 2 buracos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaaaiiiii... Vou parar ao inferno... Ai valha-me o criador que me escangalhei a rir... Oh paaah... É que isto não tem piada nenhuma, pobre criança... :DDDD

      Excluir
  12. Querida Nê, não se culpabilize. Estes acidentes estão sempre a acontecer.
    Um abraço quentinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh... bom... Culpa tenho Pê... Acabou por não ser nada de grave (deve ter "só" doído de caraças), mas culpa tenho... (Um beijinho.)

      Excluir
  13. Calma. Foi sem querer. Não tens culpa. Não aconteceu nada de grave. Respira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom... É isso mesmo... Não aconteceu nada de grave... :)

      Excluir
  14. Nê, há uns anos fechei a mala do carro no momento que o meu filho, na altura com 5 anos, se chegou à frente e dei-lhe com a porta da mala mesmo em cheio na cabeça. Dali fomos direitinhos para o hospital, levou 4 pontos daqueles autocolantes e ficou com um galo/hematoma gigante mas felizmente não aconteceu nada de grave. Ainda assim, até hoje não me perdoo e serviu-me de lição, nunca mais fechei a mala do carro sem lhes ordenar que se afastem.

    Numa outra vez, também com a mala do carro, a mesma estava aberta e o meu miúdo estava no banco de trás, virado para trás quando eu fechei a mala. Nesse momento ele começou a gritar e foi quando me apercebi que ele tinha ficado com os deditos presos na chapeleira, que, ao fechar a mala recolhe até se encostar aos encostos de cabeça traseiros.
    Eu, eles e a mala do carro, dass...!

    Motherhood is not for sissies ;)

    ResponderExcluir
  15. Isto parece um confessionário. Cá vai:
    - Eu pecadora me confesso. Ia a criança a entrar para a parte de trás do carro (tem 5 anos e já coloca o cinto da cadeira sozinho), portanto, eu acho que ele já entrou, a porta custa um pouco a fechar... o que faço eu? Trilhei-lhe a perna com uma força bruta, só ouvi o grito de dor dele. Acho que já deve ter passado uns 6 meses e só de pensar nisso já fiquei cheia de remorsos outra vez.

    Ontem estávamos os dois sentados no sofá e eu tinha o meu braço por cima dele, ia para me levantar e não subi o braço o suficiente, portanto, dei-lhe uma cotovelada bem forte nas costas.

    E também já me aconteceu trilhar-lhe a pilinha nos calções porque o pai lhe tirou os boxers molhados da praia e ele não tinha roupa interior (não fez sangue mas ficou pisado uns dias).

    Nestes 5 anos já levei a cria algumas vezes ao hospital porque já caiu/bateu com a cabeça e depois fica mole como tudo, quase a adormecer... e tenho a sensação que ficam sempre na dúvida se eu o maltrato ou não, eu sei que é o trabalho deles e acho bem que façam todas as perguntas para ver se os hematomas coincidem com a descrição do acidente mas só me faz sentir ainda uma pior mãe.

    Depois destas confissões alguém irá rastrear os nossos IPs e vão-nos ser retiras as crianças, a todas.
    Pelo lado positivo, fiquei a sentir-me menos mal porque afinal não sou a única a quem acontecem acidentes/que não consegue imepdir acidentes.

    ResponderExcluir
  16. Também já trilhei o pescoço ao fechar o casaco.

    Já lhe entalei a mão no carro (felizmente com pouca força, pois só ia encostar a porta).

    A pior: tirei o ovo do carro não e percebi que a pega não fez o "click" de encaixe. Resultado, com a pega na mão, o ovo virou-se para a frente. Graças ao cinto, ela não caiu de cara no chão. Nem acordou...!

    ResponderExcluir