quinta-feira, 30 de julho de 2015

Resultados preliminares.

Se a cada um de nós, nos calhasse na rifa fazer atendimento numa qualquer repartição de finanças (onde as senhas acabam na primeira hora da manhã, há três funcionários para atender centenas de utentes, sendo que cada um destes chega com pior humor que o anterior pelo tempo que esteve à espera, e onde se dá a cara por um sistema perro e estupidamente intrincado pelo qual não se é minimamente responsável), éramos todos atenciosos, prestáveis e fofinhos e até nos haviam de doer as bochechas de tanto sorrir para as pessoas depois de um dia de trabalho.

41 comentários:

  1. Discordo e pergunto:

    Para quando uma repartição de finanças para Divas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o Passos falou nisso agora no programa eleitoral...

      Excluir
  2. Eu vou contar-te uma história....
    Não, não vou porque ficava aqui a manhã toda.
    Mas posso dizer-te que quando comprei a minha casa, fui quase "roubada" pelas finanças (mais pela incompetência de um funcionário). Só resolvi com uma carta à DGF, estive um ano para que me restituíssem cerca de 500€, a repartição em causa foi inspeccionada à minha conta. Portanto, a minha relação com os funcionários não é de todo positiva, especialmente quando o chefe das finanças arroga que "eles não estão lá para esclarecer ninguém, apenas para receber papelada!! "
    Por ironia ou por outra coisa qualquer, o melhor funcionário de atendimento ao público desta repartição tem uma deficiência física nas mãos e é sempre simpático, disponível e o mais rápido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há muita incompetência... Como todo lado, não podemos é generalizar...
      (Eu vou-te contar outra. Um comerciante vizinho meu estava a pagar uma dívida às finanças em prestações. O senhor ia lá religiosamente todos os meses pagar a prestação... Como era acanhado, mas já lhe parecia que estava a pagar há muito tempo, um dia perguntou como estavam as contas. Pois bem, receberam-lhes aí um ano a mais de prestações. O senhor já tinha pago a dívida e continuavam a ficar-lhe com o dinheiro. Já foi há alguns: 6 ou 7, anos. Quero crer que o sistema informático já esteja mais hábil e que já não aconteça disto.)

      Excluir
    2. Num registo mais sério :) acho q émto por ai, incompetência há em todo o lado. Publico e privado. A diferença, e razão pela qual atacamos mto mais os funcionários das finanças (por exemplo), é q eu n posso ir a outro local - ou melhor, por caso até posso ir a outra repartição, e por vezes até resolve o problema - mas o q quero dizer é q n posso ir p a "concorrência" como posso fazer num servico com o privado.

      Excluir
    3. Eu acho que os funcionários das finanças são atacados porque aquilo em muitos sítios não funciona bem e porque as pessoas vão lá levar dinheiro a que não conhecem retorno.

      Excluir
    4. Sim, de facto n funciona mto bem. Mas tb depende mto da pessoa q apanhas.
      Há quem meta areia na engrenagem e há quem te despache as coisas (e sim, já conheci ambas as realidades p um mm problema)

      Excluir
    5. Sim, há bom e mau como em todo o lado...

      Excluir
    6. Por acaso, agora fiquei encanitada com outra questão. Ora, tendo eu deixado passar a minha senha por mais de 3 nr (o q numa reparação de finanças é mais do q aceitável p se fumar, ir beber um café, e em boa verdade, até ir ao super mais próximo comprar um pãozinho...), ergo, n estando lá, é legitimo chamar incompetente ao funcionário que se recusou a passar-me um comprovativo de presença??!

      Excluir
    7. Aí eu concordo... Há que ser razoável. Podes deixar passar a tua vez por mil e uma razões... Podias ter tido muita vontade de ir ao WC, por exemplo... Eles no comprovativo podem ser dizer que tiraste a senha (isso eles vêem) mas não foste atendido porque deixaste passar a vez. E isso é verdade.

      Excluir
    8. Claro q podes deixar passar a vez, por isso é q ha nr de tolerância, pra haver margem p situações dessas.
      E se me disseres q em vez dos 3 eram 5, tb ainda acharia razoável, mas se já forem 10 ou mais...epá...
      Entao o q me impede de passar por lá de manha, tirar uma senha (q se n fores mto cedo, já será a 50) e voltar no final do dia...ah passou...
      Convenhamos q pode potenciar fraudes (sendo q, excepto situações laborais tb n me ocorre grande necessidade p o justificativo...)

      Excluir
    9. Oh Me, mas as pessoas das finanças não têm nada a ver com isso. O que podem (e devem) fazer é declarar que a pessoa tinha a senha n° tal e que quando se dirigiu ao atendimento não foi atendida porque tinha o n° não sei quê. Depois cabe ao patrão interpretar o que aconteceu e agir como lhe parecer melhor.

      Excluir
    10. Ah sim. Ok. Sim, se na declaração for feita essa referencia realmente n vejo nada de mal.

      Excluir
  3. Reclama e serás atendida num espaço com AC ah e não percas tempo com esperas inúteis, vai à tua vidinha super ocupada e volta só quando te der na real gana, mesmo que tenham passado 10, 20 ou 30 senhas da tua serás atendida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exacto!!
      E quanto mais sorridente fores, maior a probabilidade de seres atendida pelo, seguramente, único funcionário competente em toda a repartição ;)
      Ah e leva um óculos fashion, fica sp bem.

      Excluir
    2. E depois passas de costas de direitas e com cara de "in your face" porque outro funcionário (que só por acaso trabalha num gabinete com AC e longe do povo) teve paciência contigo ao contrario dos peçonhentos que estão lá embaixo a levar com os maus humores alheios...

      Excluir
  4. Devia ser obrigatório toda a gente passar pelo menos um dia na vida a fazer atendimento ao público, fosse no privado ou público. A maioria de nós certamente aprenderia muito (ou vá, pelo menos alguma oisa) com isso.
    Lição adicional do dia: following rules is for losers.

    ResponderExcluir
  5. Sou sincera Nê, por esta altura do ano acho que estamos todos assim (funcionários e utentes), especialmente os que esperam uma última e horrível semana para meter o pé na alheta!
    Agora mete-lhe 'atender pessoas o dia inteiro' em cima durante um ano inteiro e vê lá se tinhas pachorra.
    Coitadinhos... vamos todos dar as mãos em prol dos tipos das Finanças.
    Vá lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso. Vá... Vamos dar as mãos... Todos em rodinha que isto temos de ser uns para os outros... ;)

      Excluir
  6. Pipocante Irrelevante Delirante30 de julho de 2015 13:37

    Já tive o prazer de insultar uns quantos por telefone. E a culpa nem era deles, mas do sistema, mas como estão na frente de combate, levam com os tiros e granadas.
    Claro que há uns e outros que pensam que não estão lá para nos servir, e que lhes devemos reverência.
    Frase favorita: não vê que estou a trabalhar?
    (Eu também estaria, se não fosse obrigado a estar aqui!!!! E mais, você é paga para isso!!!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso PID. Eles devem muita porrada... Devem atender muito filho de muita mãe... E depois, claro, pagam todos por tabela. (Mas lá está... Quem não quer ser lobo não lhe veste a pele...)

      Excluir
  7. Eu por acaso tenho que discordar de ti esta vez. As finanças da minha zona não atendem assim tantas pessoas, aquilo está quase sempre às moscas e tem lá 2 pessoas sempre com um sorriso e muito prestáveis e tem lá uma senhora que se não fores rica (ou conhecida) te maltrata, é antipática e incompetente...se percebe que "conheces pessoas" trata-te lindamente e muda logo de postura.

    Esta dita senhora até teve a lata de me disser que não tinha caneta estando com uma na mão, teve a lata de me passar um papel onde tinha que pagar mais 30€ por folha (90€) por um comprovativo que me deveria ter custado 20€.
    Para além disso, empatou-me várias horas lá entre papeis para preencher e assinar, etc. sempre com uma cara como se eu lhe devesse alguma coisa e sempre rude e mal educada (eu tenho um "defeito" que é quanto mais chateada estou mais bem-educada e formal tendo a ficar, ou seja, garanto que não foi da minha atitude para com ela).

    Perto do final da minha "saga" passou uma pessoa "importante" (aka rica da minha cidade) que, por acaso, é minha amiga e me deu uma caneta porque a senhora se recusou. A postura dela mudou ligeiramente. Passado nem 5 minutos passou uma das pessoas mais importantes da cidade que, por acaso, me conhece e gosta de mim, fez-me "uma festa" e a atitude da senhora passou à oposta...!* Por isso... desculpem-me mas eu detesto este tipo de pessoa.

    Se esta incompetência lhes valesse o desemprego, como em qualquer serviço privado, eles não teriam a lata de ser incompetentes propositadamente.

    *Esta senhora só passou a ser simpática para comigo, para as outras pessoas que passaram ali o dia comigo a tentar obter a mesma documentação continuou a ser uma besta (e desculpem mas é mesmo a forma como ela estava a ser). Depois de ter visto que eu "conhecia pessoas importantes" começou com sorrisos, a gabar o nome do meu filho e a fazer conversa de circunstância... mas esta gente droga-se?! Achava mesmo que iria fazer-me mudar de opinião por isso? Ou acha que só porque eu conheço pessoas influentes valho mais que os outros? A minha vontade era mandá-la para o olho da rua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E estás a discordar comigo em quê? Dou-te razão tudo. Isso é... Nem lhe chamo incompetência... Bom, na verdade nem sei que lhe chame...
      É claro que há serviços e serviços, em sendo uma repartição calma nada justifica essa atitude. Eu falo de outras situações em grandes cidades que são serviços em autêntico estado de sítio.

      Excluir
  8. Divas à parte... Eu tento ser simpática, a sério que tento, por norma tenho toda a paciência do mundo, compreendo que toda a gente vá tratar dos assuntos à mesma hora. Mas após uma manhã inteira a andar a saltar de serviço público em serviço público, porque não se lembraram de uma coisa que se chama cruzamento de dados, ir para a repartição das finanças, ou segurança social (uma delas não me recordo qual) ali para os lados do Saldanha/av. da República, que até é relativamente grande, não sei precisar o número de balcões de atendimento mas eram bastantes, e à hora de almoço só estarem 3 pessoas a atenderem porque os restantes acharam que têm de almoçar à mesma hora é simplesmente cretino. Óbvio que no espaço de 1h30 aquilo avançou 7números. O que vale é que estava bom tempo, e deu para ir almoçar, tomar café, dar um passeiozinho. Se fui desagradável? Não, não fui, mas compreendo que haja pessoas que se passem da cabeça, imagino que a hora de almoço seja uma das horas de maior afluência, será que a porra do chefe daquela repartição não tem bom senso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso da hora de almoço... Eles têm 1 hora não é? Podiam sair espaçados de meia hora entre as 12h e as 13h30... Três turnos... Ou de 15 em 15 minutos... Seis turnos... Mas acho que já é isso que fazem, não é? Também não podiam sair todos para almoçar às 14h... Não sei... Mas de facto havia de se arranjar solução para isso.

      Excluir
    2. *quatro e sete turnos, digo...

      Excluir
  9. Sim, claro que sim...

    Se a malta estivesse num sítio que muitas vezes nem condições têm, a levar com filmes uns atrás dos outros porque o pessoal é sempre uma simpatia, com pessoal a menos porque a malta que se reforma não é substituída e o volume de trabalho aumenta e é repartido por quem está, já não te lembrasses da ultima vez que recebeste um aumento de ordenado, mas por outro lado viste o ordenado a fugir de ti ano após ano, se calhar ao ponto de chegares ao fim do mês, depois de pagar a escola dos putos, a prestação da casa (já nem falo do carro que tiveste de te desfazer dele e ir comprar um chaço velho em segunda mão que dê para o gasto) não teres um tostão, tivesses de, só para manter as coisas sem grandes atrasos, por causa da falta de pessoal, ficar a trabalhar mais uma ou duas horas que não te são pagas todos os dias, haveria de certeza o mais luminoso sorriso no rosto ao atender alguém...

    (não, não sou funcionário das finanças, mas esta é, cada vez mais, a realidade dos serviços estatais)

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outros que devem ter uns dias maravilhosos (dependendo dos sítios claro) são os da segurança social...
      Bom dia.

      Excluir
    2. Sinceramente, acho que como em tudo, não podemos generalizar. Sim, já fui muito mal atendida em serviços públicos e também fui bem recebida com simpatia. Depende das pessoas, momento, estado de espírito, sei lá. Que não devia depender, não devia, mas é a realidade.
      A minha primeira experiência profissional foi mesmo um estágio numa repartição de finanças e vi de tudo. Colegas que se passeavam o dia todo com um papel na mão, com centenas de pessoas nas filas que ignoravam altivamente. E colegas disponíveis e amáveis que faziam o trabalho delas e dos outros. Acredito que há pessoas que simplesmente não têm vocação para o atendimento ao público e fazem um tremendo frete e isso nota-se.
      Depois também há as Divas, que acham que têm direito a tratamento exclusivo, mas isso são outros quinhentos :)
      Conceição

      Excluir
    3. Completamente de acordo!
      Mas que a verdade é que a própria situação em que a tutela coloca os funcionários contribui, e muito, para que cada vez haja menos gente a vestir a camisola e levar as coisas em frente!
      De há uns bons anos para cá a tutela tem feito os possíveis para encravar as coisas, torrando a paciência aos funcionários...

      ...o que não deixa de ser uma boa desculpa para daqui a uns anos privatizar a maior parte dos serviços (como a saude e a segurança social, por exemplo) onde a malta passará a ser atendida por estagiarios que trabalham a custo zero e não não sabem o que fazer porque só ali estão durante um ou dois mese antes de vir o próximo desgraçado...
      ...o que quer dizer que a simpatia do atendimento até poderá lá estar, mas o conhecimento para resolver os problemas (e se calhar, para quem não sabe, convém relembrar que todos os dias sái um qualquer Dec. Lei no DR que altera a disposição do nº tal do artigo não sei do dec lei coiso-e-tal de mil novecentos e troca-o-passo e que os funcionários tem de saber isso, sob pena de te estarema dar informações que ontem eram certas e legais mas hoje já não são...), o que faz de alguns deles enciclopédias de legislação ambulantes...
      ...que ganham em base de carreira pouco mais de 600 paus e que não vêem à sua frente qualquer hipótese de progressão, quer na carreira, quer de progressão salarial...

      Isto já para não falar em funcionários em funções de responsabilidade, com habilitações para as desempenhar e a experiencia dada por anos de trabalho, mas que não são promovidos para as devidas categorias onde deviam estar (aliás, até são, via mobilidades internas - mas os ordenados não são mexidos o que na prática tenhas responsáveis por sectores grandes e serviços de alta responsabilidade, com licenciaturas a ganhar os pouco mais de 600€ e a terem as responsabilidades de quem devia estar a ganhar cerca de 1300€- ou seja ganhas metade do que devias mas tens a mesma responsabilidade que o gajo ao teu lado que ganha o dobro de ti) Ou até a funcionários com exactamente a mesma categoria, a trabalhar nas mesmas funções, no mesmo ministério com ordenados completamente dispares, fruto do local onde desempenham as funções - lembro-me por exemplo que no ministério da saude os funcionários que foram para as lojas do cidadão, onde francamente não podiam fazer grande coisa, uma vez que o que fizessem tinha de ser validado nas unidades de saúde à posteriori ganhavam um suplemento em relação aos colegas das unidades de saúde - se calhar esse suplemento era para pagar a simpatia extra...

      Portanto a pergunta, quando se olha no global, não devia ser porque é que eles não são simpáticos, devia ser antes como é que ainda há pessoal capaz de nos atender com um sorriso!

      Fora estes pequenos problemas, boas pessoas e más pessoas há em todo o lado! Quer de um lado do balcão, quer do outro!

      :)

      Excluir
    4. Obrigada C.N. Gil. A sério, obrigada.

      Excluir
    5. Pelo teu (tão bom) comentário. Por te teres dado ao trabalho.

      Excluir
    6. Não tendes nada que obrigadar :)

      Excluir
    7. Não fiqueides convencidos que eu obrigado qualquera cousa... ;)
      (Brincadeirinha...)

      Excluir
  10. Esse então...
    ...a levarem com algumas pessoas que chegam à porta de mercedes topo de gama para renovar o subsidio social de inserção...

    E a levarem com filmes que nam o gajo mais batido em hollywood conseguiria escrever...

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E levarem na cara, às vezes... E serem ameaçados... Enfim... Um trabalho de sonho...

      Excluir