quinta-feira, 5 de novembro de 2015

A ignorância por si só não me incomoda.

Nada. Nadinha. Todos somos ignorantes. Ninguém sabe tudo, ou melhor, comparado com o que podia saber, ninguém sabe nada. Nada de nada. Se uns percebem de uma coisa, outros percebem de outra. E o que percebe da poda não é mais nem menos ignorante que o que percebe de lagares de azeite. Têm conhecimentos (e, por outro lado, ignorâncias) diferentes. Só isso.

Agora... Aquilo que me causa muita urticária, mas mesmo muita, é aquilo a que eu chamo de ignorância ruidosa. A ignorância ruidosa é aquela que pertence a um orgulhoso ignorante que não pensa dois segundos em alardear a ignorância alheia. Um ignorante ruidoso é o homem que ri muito alto no café, chama por todos, e conta enquanto se ri muito alto, não sei se já disse, que o tipo da frente lhe estava a dizer que um pequeno pássaro pode causar um acidente gravíssimo numa colisão com um avião. 

- "Ah! Ah! Ah! Oh pá... Mas tu já viste o tamanho de um avião??!! Olha-me este... Oh, oh... Está calado e cala-te mazé... Não digas asneiras. Ah! Ah! Oh Zé? Ouviste esta?",

- "Mas, mas... Um pássaro de 1 kg pode causar um impacto de toneladas e se for contra o vidro do cockpit ou se entrar no motor ou se..."

- "Ah! Ah! Ah! Oh pá, mas tu sabes quanto pesa uma tonelada? Oh, oh... Cala-te! És mesmo burro."

Outro exemplo?

Uma pessoa apanhar a notícia deste estudo num jornal e gozar com os maluquinhos que andam a estudar moscas, que já não há paciência para estudos da treta nem para a futilidade da vida moderna em que as pessoas são obcecadas com a imagem e em não querer envelhecer e se botoxam todas e mais não sei quê. As tristes. Sim, porque o objetivo deste estudo só pode ser esse... Arranjar uma maneira de manter as pessoas jovens e belas e enxutas e isso.

O que a mim me incomoda é que antes de achincalhar o trabalho de um grupo de pessoas (cientistas, esses estúpidos) não se faça o mínimo esforço para perceber que o que se investe para aumentar o tempo de vida de uma mosca e o que se poderá investir para replicar a metodologia em material humano, poderá terá em vista algo tão fútil como criar condições para aumentar o tempo durante o qual um coração se mantém apto para transplantação. Por exemplo. É pouco provável, muito pouco provável, que a preocupação dos maluquinhos das moscas sejam as rugas das senhoras. Digo eu.


36 comentários:

  1. deixe de ler os blogs que não lhe interessam. simples. o problema não está nos outros, está em si.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hum... E eu falo em blogues exactamente em que parte?

      Excluir
    2. Ahahahahahahahahah!!!!!! Boa resposta!!! Uiiiiiiiii...... os " Alarves " que se riem muito alto e têm a mania que sabem tudo!!! ABOMINO!!!

      Excluir
    3. Enfim... Eu falo no meu blogue pessoal de uma coisa genérica que me incomoda (pessoalmente, outra vez e para reforçar)... Primeiro comentário: É não ler os blogues que não gosta. Está certo.

      Excluir
  2. E depois há os maluquinhos que comentam blogs. Um objecto de estudo muito interessante, digo eu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha que isto dos blogues, para o pessoal de psicologia e sociologia... Isto rendia uma carrada de conhecimento é o que eu te digo.

      Excluir
  3. Só não sei quem paga (mais) aos maluquinhos das moscas para eles investigarem e fazerem aquelas coisas que os cientistas fazem, esses heróis, se os interessados nas "rugas" se os desinteressados dos "corações".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lady Kina!

      Só para esclarecer, nem eu disse que os cientistas eram heróis nem eu disse que havia desinteressados nesta história (até porque todos temos coração), pelo que vamos já arrepiar caminho desse tom que não nos leva a lado nenhum.

      Depois gostava muito de saber o que é que “quem paga” tem a ver com aquilo que eu escrevi. Sim, é horrível e a indústria farmacêutica e a de tecnologia de medicina são uns papões de vil metal, há infindáveis interesses económicos por trás, mas no fim do dia beneficiamos todos com uma esperança média de vida superior a 80 anos.

      Finalmente, digo-te que numa fase tão inicial, como quando se trabalha com moscas, as empresas não metem o bico porque, como deves imaginar, passam-se muitos anos (e milhões) até se ter algum resultado passível de ser aplicado a humanos (e por isso de dar lucro) e isto se esse resultado chegar. Por isso sim, quem investe nas moscas são os desinteressados (economicamente falando claro) com a esperança (ou não) que um dia aquilo venha a ter interesse além do académico. Ninguém começa um estudo com moscas e o acaba com corações ou rugas, as coisas não funcionam assim.

      Excluir
    2. Credo, jesus senhor! que esta resposta tua surge-me assim qual manancial para o belo do desopilanço. Ora cá vai:

      first point- "Lady Kina! (...)pelo que vamos já arrepiar caminho desse tom que não nos leva a lado nenhum." ... ... ...
      Mas, ó mãe, não sei a que tom te referes, se calhar já lias outra vez o meu comentário, quiçá despida de má vontade a priori e coiso, vias que não está lá tom nenhum, a não ser um comentário.
      (mas ainda aqui estou a modos que amedrontada com a tua repreensão... fogo)

      second point: "gostava muito de saber o que é que “quem paga” tem a ver com aquilo que eu escrevi" - ainda pensei em acrescentar ao meu comentário inicial qualquer coisa como "mas isto já é outro assunto". Acrescentaste tu, menos mal então. Mas se calhar não se pode, não é? (divergir um bocadinho) Opá, desculpa, não volto a fazer.

      final point- "Finalmente, digo-te que numa fase tão inicial, como quando se trabalha com moscas, as empresas não metem o bico" ...
      hoje em dia não se faz ciência qualquer que não "interessada" - é simples, é preciso MUITO dinheiro para haver investigação, laboratórios, cientistas, etc, e o pai natal diz que já deu para isso, agora já não, anda lá mais entretido a fazer acordos de paz e assim.


      Excluir
    3. É que ainda estou a tremer, caramba.

      Excluir
    4. E se calhar ainda é preciso eu vir esclarecer o seguinte: prezo muito a ciência e o trabalho dos cientistas, e sinto-me muito grata por haver vacinas, ben-u-ron e colonoscopias. Nisso estamos de acordo.

      Excluir
    5. Ahahahahahahahahahahahahah desculpa se te interpretei mal. Aquele "heróis" caiu-me mal. Desculpa lá, se exagerei hã! Também não acho que a minha resposta tivesse sido assim tãao má. Fogo. Mas pronto é só para ficar claro quem manda aqui! :DDDD (Brincadeira hã, brin-ca-dei-ra!)
      Bem sabes que isto às vezes acontece, uma pessoa só vê escritos, não vê expressões, e depois o trãnsito de manhã e a correria com os putos para a escola e o café que se arramou e mais não sei quê. Mas a culpa foi daquele "heróis" e dos "desinteressados" também... Para a próxima já sabes, de manhã principalmente comentas com jeitinho. ;D (brincadeira, outra vez.)

      Relativamente ao último ponto. O que eu quis dizer é que há investigação que dá lucro (económico, que lucro dá toda) e outra que não, que se fica (não digo que seja mau) pelo conhecimento académico. E há a investigação paga por entidades empresariais (a tal que dá lucro) e outra por entidades governamentais ou sem fins lucrativos, Nesta última (e que é a mais importante porque pica pedra com mosquinhas e quejandos) não consta que haja propriamente rios de dinheiro.

      Excluir
    6. Ah pronto, se concordas comigo, tudo bem.

      (Brincadeira. - Sim, sim a partir de agora vai ser tudo muito bem explicadinho que eu cá não quero confusões.)

      Excluir
    7. Olha, sabes que mais? Desmancha prazeres, masé! Uma pessoa aqui a preparar-se e a munir-se, achando que ia passar uma bela duma tarde à chapada e assim, e afinal não, ah e tal que está tudo esclarecido?! Mas o que vem a ser isto? Está mal!
      Vai ser assim sensata para o diabo que te carregue, é o que te digo, minha filha, hás de ter muitos inimigos assim, hás hás!

      :-)))))))))))))))))))

      Excluir
    8. Ó filha, a tua sorte é que eu hoje tenho muito trabalho... Tivesse eu mais vagar e havias de ver a blogo tareia que levavas... Espetava-te com um dos meus famosos blogo-rotativos nos blogo-dentes que até havias de ficar sem saber de que blogo terra és!

      Outro dia experimentamos! ;D

      Excluir
  4. Ora...
    ...toda a gente sabe que a malta das ciências se perde completamente em futilidades...

    (aliás, acho que a maior parte da malta que andou quase à porrada na H&M eram cientistas que tiveram ordem de soltura dos laboratórios para ir comprar trapos - como sabemos as aptidões sociais deste pessoal deixa algo a desejar...)

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E toda a gente sabe que todas as tecnologias e farmácos que temos ao nosso dispor e nos permitem ter uma esperança média de vida de 80 anos cairam do céu aos trambolhões em experiências com bebés...

      Excluir
    2. A sério?!?

      E eu julgava que tinha sido Deus que tinha dado as formulas às companhias farmacêuticas...
      ...ando mesmo desactualizado, páh!

      Excluir
    3. Não lês as coisas certas está visto... ;DD

      Excluir
    4. Desactualizado? eu?

      Francamente!!!!

      Não tarda tás a dizer que a terra é redonda!

      Isto realmente...

      :)

      Excluir
    5. "Ah! Ah! Ah! Olha-me esta inteligência rara... Se a Terra fosse redonda os australianos caíam, não te parece?"

      Excluir
    6. Claro que não! Andavam com as mãos a fazer o pino! Mas como não andam é porque é direita, ora essa!

      Isto realmente há p'raí com cada ideia...

      Um dia destes ainda alguém se lembra de dizer que a Terra não é o centro do Universo!

      :)

      Excluir
    7. Não. Com essa não têm hipótese porque se vê perfeitamente o Sol a girar em torno da Terra.

      ;D

      Excluir
  5. Faz-me lembrar aquele post de há dias em que se falava das pessoas que não percebem a importância de estudar uma determinada doencá só porque é muito rara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É. É aquilo, muito tuga, de partir do princípio que os outros são estúpidos.

      Excluir
  6. Pipocante Irrelevante Delirante6 de novembro de 2015 15:37

    Cientistas são Gajos que fazem pouco e vivem como lordes à conta do contribuinte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pronto PID, eu estou sem tempo mas já tem ali em baixo um companheiro para brincar... Estai à vontade, mas sem sujar muito hã! Não quero manchas de sangue na carpete.

      Excluir
  7. Pois são e no fim a Academia Sueca ainda lhes dá o Prémio Nobel!!!! Que injustiça!!! (tristeza de comentário)!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que o PID estava a ser sarcástico. Acho... Mas ele logo dirá de sua justiça se assim lhe apetecer.

      Excluir
    2. A ironia é, por vezes, uma arte tão incompreendida...

      :)

      Excluir
  8. Há alguém na minha família que estuda moscas. Será que vou ficar sem rugas? :P :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahahahahahahah mantem-te atenta!! Qualquer desenvolvimento e avisa aqui a malta. Beijinhos.

      Excluir
  9. Fez-me lembrar quando a minha sogra descobriu que trabalhava com moscas e disse achava muito mal porque "todágente sabe que as moscas não têm órgãos, só uma papa branca quando se esborracham e nem têm doenças, o dinheirinho devia ser usado para estudar era doenças!"

    ResponderExcluir
  10. Eu costumo chamar-lhe ignorância voluntária, e faz-me cócegas na moleirinha...hoje em dia o Google está ao alcance de qualquer um...

    Inês

    ResponderExcluir