terça-feira, 19 de dezembro de 2017

O estranho contexto do "mano" com um discurso despropositado.

O Jr. a ver um vídeo lá daquela malta youtuber moderna (e asneirenta já agora, que pimenta naquela língua não vinha nada a despropósito não)...

De repente só ouço (a sair do tablet):

"Heya, cum c@ralho... Eheheh... Ó mano..."

[NM] Então?! Como é?!!

[Jr.] Oh... Não fui eu!

[NM] Eu sei que não foste tu... Mas já sabes que eu não quero que vejas vídeos com palavrões...

[Jr.] Oh... Mas ó mãe... Foi em contexto... Por acaso até foi bem metida, não veio a despropósito... Ora anda cá... Anda cá ver o tralho que o outro mano deu...

(...)

Ah bom... Se foi "em contexto"...

(...)

"contexto" + "despropósito"

"tralho" + "mano"

Tudo em alegre convivência num mesmo raciocínio, qual melting pot da semântica.

...

{Suspiro}

Não sei, mano... Não sei se estou preparada para isto...
...
...
...
Mano!




11 comentários:

  1. José Saramago é conhecido, entre outras coisas, pela utilização (por vezes na mesma frase) de vocabulário cuidado (por vezes até mesmo técnico) e vernáculo, expressões populares, gíria, ocasionalmente até palavrões mais "pesados".

    Eu diria que tem aí um Nobel da Literatura em potência. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em potência ou em raiz do mesmo grau. Das duas uma. ;p

      Excluir
    2. Looool!
      TT por causa de um, como pela piadinha matemática!

      Excluir
    3. Sabia que ias apreciar. :DD

      Excluir
    4. Como não podia deixar de ser, também apreciei a piadinha matemática (confesso que também padeço do mal de as fazer mais que a conta) ;)

      Excluir
  2. Pode piorar, pode sempre piorar... o meu há uns tempos falou-me de uma dama! Dama! Assim mesmo. É isso e o "memo podre". Fico possessa da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UI... O "mêmo" e o "bem podre" já por cá cantam, então... Põem-me velhinha!!

      Excluir
  3. Ahahahaha noutro dia também bloqueei uns vídeos que a pequena adorava ver. Nem tinham asneiras mas tanta má-educação.
    Nesse contexto que falas, nop, ainda não chegámos. Não estou livre, mana... yo!

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Corações ao alto, Maria! E o que não matar a Língua Portuguesa há de torná-la mais forte. Digo eu.

      Excluir