domingo, 10 de setembro de 2017

E desde aquele dia ele nunca mais dispensou a bússola..

Decorria o ano 2000, 2000 e pico, e um jovem propôs à sua adorada que fizessem uma viagem de automóvel: do Porto a Sintra, sempre por estradas nacionais, sempre nas calmas, sempre a aproveitar o caminho.

A jovem aceitou, desconhecendo no entanto, que nas premissas de tal viagem estava também:

(a.) a orientação pelo Sol durante o dia, e

(b.) a orientação pela Estrela Polar durante a noite.

Ainda hoje permanece por esclarecer como é que entre uma coisa e outra, ali no lusco-fusco, um casal de namorados não deixou de o ser.

14 comentários:

  1. Pipocante Irrelevante Delirante10 de setembro de 2017 22:14

    Mantém o registo de provocar inveja.
    As suas leitoras/blogoamigas estão neste momento a pensar a sorte que tem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahã! Eu fiquei em modo trombas ao fim de, sei lá, quatro horas de viagem ainda aí com uns 200 kms pela frente. Uma impaciente que eu sou...

      Excluir
    2. Pipocante Irrelevante Delirante10 de setembro de 2017 22:53

      Reconhecer os próprios defeitos é em si uma qualidade.
      Muito bem.

      Excluir
    3. Pipocante Irrelevante Delirante10 de setembro de 2017 22:56

      Imagino uma caravela com tripulação composta por mulherio.
      Ai que nunca mais chegamos. Aquela coisa da pimenta vale esta trabalheira toda? Ora atraca ali para perguntarmos àqueles senhores escuros com as lanças se o caminho é este. Vira ali, vira ali, bem te disse que era para virar à direita no bojador.

      Excluir
    4. Pfff, alguma vez?
      Ainda antes das caravelas zarparem já nós saberíamos onde aportar (e de certeza que haveria de ser onde a pimenta fosse de primeira e simultaneamente uma pechincha, de caminho parávamos em África só para levar uns escravos que estão em promoção e nunca são demais, e seguiríamos a dar um santinho às Américas onde o ouro estivesse com um preço imbatível, que para bons negócios não há como os mulheres). Reescreveríamos a história dos navegadores e dos descobrimentos.

      Excluir
    5. Também acho... Muito desperdício deve ter havido naquelas viagens...

      Excluir
  2. desculpa, NM, mas esse programa em bem melhor do que a autoestrada e um gps. a metáfora da descoberta no seu esplendor!

    :b (sua mal-agradecida!!!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois flor... Assim por princípio também me pareceu mui bien, que rico rapaz me havia saído na rifa... (Na altura ainda não havia GPS assim ao pontapé...) Mas depois começas a ver as horas passar, começam-te a doer as costas, começas a desconfiar que o condutor não tem assim muuuita certeza por onde vai e tudo lhe serve de desculpa para não pedir direções... Eh pá... Começam-se-te a subir uns calores... Até que... Olha, casas-te! :DDD

      Excluir
  3. ahahahahha
    Eu tinha uma história gira para contar mas não quero roubar o protagonismo ao teu mais que tudo. Jura que lhe deste uma bússola?! :DDD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh... Conta, conta!!! Já teve protagonismo mais de 24h, o que corresponde a para aí um ano em tempo dos blogues. :DD

      Excluir
  4. Ehehehe, só agora li o post anterior... ele tem mesmo uma bússola :DDD

    ResponderExcluir
  5. É tudo rigorosamente planeado, cara NM, para mostrarmos que somos adoráveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E no caso particular até podia ter resultado se a viagem se tivesse iniciado às 4h da tarde, ou assim, e não às 9h, ou lá o que foi.

      Excluir