sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

E quando estamos quase quase em paz com aquilo que achamos serem alucinações...

Sempre que chego cedo ao trabalho, mal fecho a porta do gabinete começo a ouvir música. Clássica.

Abro a porta e deixo de ouvir. (Apenas o silêncio do espaço comum.) Vou fechando a porta e vou começando a ouvir. (Mas só se for de manhã cedo.)

Do gabinete contíguo ao meu não é. Certifico-me disso praticamente de todas as vezes. Por vários motivos custa-me muito, mesmo muito, a acreditar que venha do piso inferior, mas como estou no últmo piso...

Hoje tive uma reunião muito cedo e a verdade é que fiquei aliviada quando ouvi: "Oh... Está a ouvir?! De onde virá?" Estive para responder que achava que vinha do Céu. Mas, a bom tempo, calei-me.

Sim. De baixo. Só pode vir de baixo.

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Ora nem mais. Se não vem do lado nem de cima, tem de vir de baixo, não é?

      Excluir
  2. Vivi num apartamento, no último andar e tive imensas vezes a sensação que andava alguém em cima (no sótão praticamente inexistente). Eram passos, estalos, e por aí fora até que comecei a perceber que o som na realidade vinha de baixo.

    Mas pior mesmo foi viver numa moradia e ouvir os estalos e passos de madrugada e não fazer ideia de onde vinham. A única explicação lógica que me ocorreu foi ser a gata dos vizinhos saltar para cima do meu telhado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade aquilo pode vir de qualquer lado pelas condutas de ar. Mas é super, super, estranho...

      Excluir