sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Decididamente eu sou dos que recomeçam em Setembro.

Não me sinto a acabar nada e, por conseguinte, este não se me afigura como um recomeço. Não tenho resoluções, nem vontade/capacidade para balanços. O meu ano ainda só leva 4 meses. Não estou cansada e tenho sob controlo o que resolvi em Setembro passado.

O meu ano acabou na primeira semana de Agosto. Depois fui de férias e recomecei um ano novo em Setembro.
E esse meu final de ano foi particularmente duro; provavelmente o mais penoso. Nunca me senti tão perto da exaustão como então e foi praticamente de maca que entrei de férias. E se só fraquejei, em vez de me estalar no meio do chão, foi porque tenho uma casa de tijolo, não de palha ou de madeira, que não vai abaixo com qualquer ventania.

Profissionalmente sou-me dura, ambiciosa e tremendamente organizada e disciplinada. Faço um plano em Setembro, com ajustes em Março. E a finais de Julho, a menos da perturbação causada pela queda de algum meteorito ou assim, tudo o que estava planeado tem que estar feito. E bem feito.

Mas nem sempre me é fácil. Neste Julho/Agosto tive insónias sucessivas, enxaquecas, dor muscular generalizada, quebras de tensão e uma dor no braço esquerdo que me fez ir às lágrimas. Foi difícil. Tive medo que me desse uma sulipampa qualquer que me mandasse desta para melhor.

A minha resolução de Setembro foi ser-me mais branda. Pela minha saúde. E, por osmose, pela dos meus. Por mim e pelos meus estou cada vez mais capaz na arte de priorizar, de relativizar. Separo o trigo do joio sem pensar no assunto. Um dia de cada vez e a aproveitar ao máximo os meus e os bons momentos, sem o peso do Mundo nos ombros.

Estou mais feliz, mais leve e em paz, porque assim resolvi que ia ser. Tão simples quanto isto. Eu não sou o que fui naquele meu final de ano.

Mas porque muda o calendário, e porque para muitos este é que é o momento de balanços e recomeços, desejo a todos um excelente 2017, com boas saídas, óptimas entradas e melhor permanência.

Não vos aborreçais muito. A sério que não carece. Ide por mim.











19 comentários:

  1. Excelente post. Gostei muito de a ler.

    (genericamente, claro...)

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Para ti e para os teus também, Pic. Tudo de bom.

      Excluir
  3. Um bom Ano Novo repleto de felicidade.

    ResponderExcluir
  4. Minha querida Nê,
    desejo-lhe tudo de bom para si e para os seus. Espero que descanse mais em 2017.
    Um beijo enorme para todos da

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijinhos Pê! Um Super ano também para si e para os seus!

      Excluir
  5. (estou na voltinha das comadres e venho retribuir o bolo-rei :) feliz continuação, NM :)

    ResponderExcluir
  6. Tchim-tchim!
    A um 2017 a transbordar de felicidade!

    ResponderExcluir
  7. Um feliz ano novo e uma feliz continuação do ano iniciado em setembro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também para ti, gata! ;) Que para o ano estejamos todos por aqui. Tão bem ou melhor.

      Excluir
  8. Cá beijinho, que me compreendes...
    O meu começou em julho, com o emprego novo - e a falta de férias - por um bom motivo! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. High five! :)

      Continuação de bom ano, m-M!

      Excluir
  9. Um Ano cheio de risos e brincadeiras e tudo e tudo e tudo!!!

    Beijocas das repenicadas :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada e igualmente, Maria. :)
      Muitos beijinhos.

      Excluir