segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Disso dos posts sobre os "pequenos nadas" dos filhos

E de como isso "confrange" e "envergonha" terceiros (é mau feitio da minha parte ou a semântica dificilmente poderia ser mais agressiva?).

Fiquei a pensar e o único que quero dizer sobre isto é que, pasmem-se, muito boa gente só terá blogues para escrever esses "pequenos nadas" e quase aposto que terá sido a vontade de registo desses "pequenos nadas" que espoletou a criação de grande parte dos blogues pessoais (isso... blogues "pessoais") de gente com filhos. É que, pasmem-se, muito boa gente relatará esses "pequenos nadas", não para receber afagos de ego, mas apenas para mais tarde os poder recordar, para não ficarem perdidos nos buracos da memória. Há quem escreva longas e contorcionadas cartas de amor, há quem opte por registar esses "pequenos nadas".... (Eu sei, eu sei... Há muito doido neste supermercado de Deus.) E precisamente por isso, por haver quem escreva maioritariamente para si e para os seus,  o facto de uma qualquer situação ter causado "impacto lá na família" será condição sine qua non para ser descrita em post (sendo o inverso igualmente verdadeiro). Se terá interesse/graça/... para terceiros será sempre o de somenos importância.

E se numa blogosfera, em que tanta e tanta gente adulta se comporta, escreve e argumenta qual criança de cinco anos, isto não é percebido e tido como razoável e se é isto que "confrange".... Bem, só não escrevo aquilo do sentir vergonha alheia de quem por isso se aflige, porque tenho dificuldade em assimilar neologismos e a verdade é que ainda não percebi muito bem o que tal expressão quer dizer.

40 comentários:

  1. Ui...

    Mais uma que se toca com o que escreve o Pipoco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não se sente não é filho de boa gente.

      Excluir
    2. Por acaso não tocou nada... É que o meu filho tem mesmo muita piada! Pelo menos eu acho.... ;) (fico é ralada com o mais novo... é que se por um lado eu não quero que ele um dia mais tarde veja isto e fique a achar que eu só falava do irmão, por outro ele ainda só faz xixi, cocó, ri-se e dá os bracinhos.... ah, e bolça, às vezes também bolça... e chora claro. enfim... só me envergonha o catano do miúdo.)

      Excluir
    3. acho que tb come (já o vi a fazer isso) e dá um ou outro arroto, benzadeus!

      Excluir
    4. E que senhores arrotos! Ainda escrevo um livro sobre isso! :D

      Excluir
  2. Respostas
    1. Desculpa, estava a leste, ainda não tinha lido. Mas depois vi aqui um comentário e percebi onde foste buscar isso das, crianças, da vergonha e não sei quê.
      Aquilo é tudo mentira, Nê. Que diferença faz contar os pequenos nadas dos filhos ou os pequenos nadas dos sobrinhos que todos os anos lhe enchem o sótão? E isso da algazarra dos vizinhos? E fala sobre o que come e do bebe e onde, tal como quem fala sobre os pequenos almoços. Não fala sobre os chefes, fala sobre os subalternos. Não fala sobre a casa de sonho mas vai postando fotografias das janelas e mais não sei o quê.
      O homem é um boneco, um snobão do pior. Eu alguma vez me justificava a um boneco? Com os bonecos brinca-se.

      Excluir
    2. Ahahaahahahahahah Eh lá Mironinho do meu coração... A menina tomou dois cafés ao almoço, não é verdade? :DDD

      (Essa do boneco parece-me só para quando dá jeito mas bom, será isso será...)

      Excluir
    3. Não Nê, não tomei, não. Está em falta o café que Mr Mirone me tira todas as manhãs, é o que é. Anda embarcado outra vez e eu sem ele parece que me falta qualquer coisa...

      Excluir
    4. Ora até que enfim uma peregrina verdade emergida dum mar de suposições.
      Falta qualquer coisa com certeza. Certeza fidedigna.
      Tanta que não precisa jurar, cara Mirone. Basta alvitrar que a gente acredita sem reservas. Falta sim!!!
      Corvo.

      Excluir
  3. Eu gosto de partilhar emoções. Comecei o blogue numa espécie de registo apenas para mim... mas agora gosto dos leitores e vejo muitos deles como "amigos".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca escrevi apenas para mim, mas uma coisa é certa: nunca deixarei de escrever sobre os meus e, por isso, dificilmente acaberei com este blogue... Posso é, num acesso estranho qualquer, pô-lo privado e começar a escrever só para os meus. Mas pelo menos enquanto os miúdos forem pequenos já decidi que mantenho isto a funcionar.

      Excluir
  4. Eu só ainda não percebi uma coisa. Onde raio está o código deontológico dos blogues?? Aquele que impede que o blogger escreva sobre o assunto que lhe der na real gana, que diz que uma vez um assunto abordado por um blogger jamais poderá ser abordado por outro e etc...

    Eu também me causa fastio ler sobre que raio foi o pequeno almoço, ou relatos de viagens familiares que só os familiares percebem.... mas cada um escreve aquilo que quer e quem não quer não lê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na bloga como na vida cada um escreverá sobre o que quer e terá de se aguentar com o julgamento alheio. Nada complicado na verdade. :)

      Excluir
  5. O Pipoco mais não fez que o mesmo que a senhora no seu blogue, assim como mais algumas, fazem.
    Só que quando nós toca a nós não tem tanta piada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já disse lá em cima que não me tocou nada. O que aconteceu foi que numa segunda leitura achei aquele "vergonha" e "confrangedor" pesadíssimo e fiz, de resto, o que qualquer outra pessoa tem oportunidade de fazer: usei o meu blogue para expressar a minha opinião. O que é que isto tem de complicado, não me dirá?

      Excluir
  6. Cada um escreve sobre o que lhe apetece no seu blogue. E cada um lê o que lhe interessa. Eu , por exemplo, adoro as historias que a Mirone faz o favor de partilhar sobre o Junior. Não costumo comentar, mas gosto sempre de aqui vir.

    ResponderExcluir
  7. Desculpe, queria dizer NM e disse Mirone. Talvez porque também gosto muito do blogue da Mirone. Beijinhos às duas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada um escreve o que lhe apetece, mas quem escreve o que quer lê o que gosta e o que não gosta e eu lido perfeitamente bem com isso. :)

      (obrigada e já somos duas nisso de gostar muito do/da Mirone)

      Excluir
  8. A mim causa-me vergonha a indelicadeza, o exibicionismo, o pedantismo ou a devassa da vida privada. E gozo com isso, sem qualquer pudor ou hesitações. Não me custa acreditar que esse meu gozar possa, por outro lado, causar vergonha a terceiros. But frankly, my dear, I don't give a damn.

    (mas vamos convir que se escrevêssemos apenas para nós próprios não haveria blogs públicos...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já disse que não me assentou a carapuça (sou muito convencida eu), mas reli e achei os termos muito pesados. Vieram-me à cabeça posts e blogues e achei despropositado (também tenho direito à minha opinião, certo?).
      No meu caso garanto-te que os posts que faço com as historietas do Jr. e outras palermices cá de casa são, essencialmente, para não me esquecer delas, não procuro palmadinhas nas costas... Acho-lhes piada e posto, tal como posto qualquer outra coisa que ouça por qualquer outra pessoa (com a diferença que as deles tento guardá-las todas, todinhas). Por outro lado também acho que... Caramba, todos sabemos como são as mães com os seus filhos e nós também já fomos os melhores pelo olhar enviezado das nossas mães. Acho que devia haver mais benevolência no trato... Não sei, digo eu, que cada um saberá de si!

      Excluir
    2. Acho que concordamos.
      (eu acho piada à maior parte das histórias de dom Júnior e não sou mãe dele... vergonha só se tivesse de andar com ele fantasiado no meio da rua, mas como és tu...)
      (todos temos momentos infelizes, aquilo da vergonha seria mais apropriado à devassa da vida privada, quer se trate de adultos ou de crianças, assim foi só bruto)

      Excluir
  9. NM, estando correcto o seu princípio de relevar a minha palavra (e até de adoptar alguns dos meus ensinamentos como filosofia de vida), nem sempre será prudente levá-la (à minha palavra, bem entendido...) muito a sério.

    Os seus meninos são lindos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai não me diga uma coisa dessas caro PMS, que isso é um farol que se apaga, um marco geodésico que desmorona, uma bússola que desmagnetiza ou um gps que descarrega a bateria na minha vida... ;)

      (e sim, os meus filhos são lindos, muito lindos até, mas isso o PMS não sabe que eu tapo-lhes sempre a cara.)

      Excluir
    2. Tape-lhes a cara ou tape-lhes as costas, os seus filhos são lindos. Os filhos de todas são lindos, todos os filhos em qualquer cor ou crença, são sempre lindos.
      Depois com o crescimento, serão ou não!
      Mas isso e outra questão que não foi para aqui trazida. O importante a reter é que todos os filhos são lindos.
      Corvo.

      Excluir
    3. Tem razão Corvo, tem mesmo toda a razão.... Lindos cadilhos na verdade! :)

      Excluir
    4. Ora aqui temos Caro Tio Pipoco a fazer a mesmíssima coisa que Cara Tia Picante usa e abusa de fazer lá no canto dela: manda uma ferroada, aparentemente para o ar, para quem a quiser apanhar e depois, quando alguém a apanha, quando alguém acusa o toque, aparece de fininho a dizer que não, que não é bem assim, a ferroada não se dirigia a ninguém em especial, muito menos a essa pessoa em particular.

      Começo a pensar que Caro Tio Pipoco e Cara Tia Picante são uma e uma só e a mesma pessoa.

      (E acho também que não é despiciendo o facto de Caro Tio Pipoco ter aparecido por aqui somente depois (mas logo, logo depois...) de Cara Tia Picante...)

      Excluir
    5. Ora, Anónimo, estará por acaso a insinuar que eu sou um velho, gordo, careca com más meias?
      (Céus!...)

      Excluir
  10. <3
    já dizia o cantautor do meu coração "a vida é feita de pequenos nadas "

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Profunda verdade.
      A maior e mais poderosa estrutura construída pelo homem, alicerça-se num grão de areia.
      Corvo.

      Excluir
    2. E quem não perceber isso...

      Excluir
  11. Irmãos, mais uma vez a Palavra de Deus Pai Salvador vem até vós através da palavra deste humilde servidor da Fé e da Benquerença Divina, para vos aconselhar na remissão dos vossos pecados e conduzir-vos pelo caminho da salvação das vossas almas Cristãs, porque sabeis que Deus Pai e Salvador zela pelos seus filhos perdidos neste Vale de sofrimento armadilhado pelo tenebroso inimigo das vossas almas, o infame Satanás para através do pecado da Carne vos conduzir as Chamas eternas do Inferno onde ardereis toda a eternidade.
    Não foi por acaso que os Profetas do Senhor vieram à terra conduzir os pecadores pelo bom caminho, e para provar a sua bondade para os seus filhos fieis deu poderes a Moisés para abrir o mar para salvar os crentes e depois de passarem todos fechou as águas e afogou os malditos infiéis pecadores, que para provar aos povos que depois vieram habitar a terra, derramou o sangue todo deles no afogamento que o sangue dos malditos nunca mais desapareceu e até ficou sempre o mar vermelho.
    Deus Pai mostra-vos a recompensa para os bons e o castigo para os maus, e vocês devem deixar de ser cegos e verem com olhos de Cristãos devotos essas provas da Bondade de Deus Pai Misericordioso.
    Mulheres Cristãs que me ouvirdes, Afastai-vos das tentações que o Tinhoso coloca no vosso caminho para vos levar á perdição e recusai os pecados da carne porque sabeis que o vosso corpo não vos pertence e é de Deus Pai e do Espírito Santo que habita dentro de vocês.
    Não foi por acaso que o Sagrado Sangue de Cristo foi derramado sobre as vossas cabeças e para vos lembrardes sempre até tendes a menstruação todos os meses para vos lembrardes que não sois livres para se entregarem aos pecados da carne, mas muitas mulheres pecadoras nem se lembram dos Divinos Sinais e pecam carnalmente com a menstruação.
    E quando vos vindes dessa maneira o Diabo ri desalmadamente a esfregar as mãos e a apontar nos seus livros de fogo, e Deus Pai chora de dor e as sagradas chagas de Cristo voltam a se abrir e a sangrarem ainda mais.
    Pensai nisso com fé e remorsos e arrependei-vos dos pecados mortais da carne que os vossos maridos vos pedem para fazer, e nunca vos ajoelheis aos pés deles mesmo que eles vos ofereçam uma almofada porque senão sereis obrigada a felação que horroriza os Sagrados sentimentos de Deus e os Santos todos.
    Ajoelhem-se só para rezarem e quanto mais se ajoelharem e rezarem pela remissão dos vossos pecados mais agradareis a Deus.
    Ficai todas na Paz do Senhor e Sede todas para sempre muito Abençoadas.

    OMAR EL THAAR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh OMAR eu sei que não sou a única previligiada com estes seus comentários... Mas... Porquê OMAR, porquê?

      Excluir
  12. (também) Tenho um blog, tenho perfil no Facebook, falo e publico imenso sobre os meus filhos. Se alguém achar chato, pode sempre ativar a opção "não seguir".
    O meu blog, não sendo privado, não aparece associado ao meu nome em lado nenhum. Há pessoas que o conhecem, dado que já foi utilizado como espaço de trabalho - na verdade, é um registo do que sou nos últimos 10 anos - mas não o publicito.
    Admito que o que publico, principalmente no FB, pode ser desinteressante. As milestones dos meus filhos - o comerem o primeiro iogurte sozinhos, os primeiros passos, o pintarem as paredes da sala - pode não interessar a ninguém. Pode ser considerado spam, até, ou lixo visual. Cound't care less. O espaço é meu, não o enfio nos olhos de ninguém, quem não gostar que não leia.
    Naquilo que escrevo, evito descrever situações que um dia os possam embaraçar a eles: não digo que comeram cocó, nem que descobriram a pilinha, nem nada disso. Estaria a partilhar, num espaço acedido por desconhecidos, coisas que são mais deles que minhas. Este é o limite que estabeleci, nestas coisas da partilha da informação.
    Fico, contudo, irritada - mas nunca ofendida ou magoada - com coisas que leio e que dizem que "conversa de filhos é chata", que (pérola) "as pessoas quando passam a mães deixam de ser interessantes", etc etc etc. Porque ainda que não me enfie a carapuça, sinto-me incluída num grupo ao qual não pertenço.
    Deve ser de mim, que detesto generalizações. Que me irrito - mas nunca me ofendo ou fico magoada - com expressões como "as mulheres são...", ou "as gajas nunca sabem...", ou "pah, as grávidas são todas umas hormonentas".
    Não gosto. Mas também não fico magoada, nem ofendida.
    Só me apetece mandá-los apanhar morangos... de saltos altos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito, muito bom comentário. Obrigada! :)

      Excluir
  13. Eu tenho um desses. Os pequenos nada deles que para mim são tanto... Achei que devia registar para mais tarde. Sei lá se cá estou para lhes contar...

    ResponderExcluir
  14. Só agora li isto e só agora apanhei o fio à meada. E confirma-se. Eu continuo a não suspirar por quem todas suspiram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Todas" xaxia?? Ahahahahahahah ahahahahahahah pois sim, pois sim...

      Excluir