segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Um grande bem haja para ti, "Godigo"!

O meu filho mais novo é um animal social. Fala com toda a gente. Diz olá, sorri, mete conversa, pergunta "como te chamas", "quanto anos tens" (e é engraçado ver o embaraço dos adultos que normalmente assobiam para o lado mesmo comigo a fazer-me de distraída como quem não está a ouvir a conversa), "o que é isso" e diz que a saia/vestido/blusa (tudo que seja espampanante e capaz de ferir a vista a qualquer um) "é muito munito"... Enfim, onde quer que vá com ele, é certo e sabido que povo que exista a menos de cinco metros de nós lhe fica a saber o nome e que trago comigo o recado de que tenho um filho muito simpático. E tenho, sim senhor.

Estávamos nós os dois numa sala de espera, com ele por ali cirandar e a lançar charme. Já toda a gente se metia com ele e ele lá andava nas suas quintas.

De repente um dos seus animais cai para debaixo de uma cadeira e ele sai-se com um assertivo e sonoro: "OH, PÔGA!"

Eu, surpreendida porque de facto nunca lhe tinha ouvido tal, digo indignada o seu nome... Acto continuo, e consciente que o tiro me podia perfeitamente sair pela culatra (porque afinal os meus móveis têm esquinas, gosto de andar descalça, tenho - tcharan!, dedos nos pés, e a conjugação destes factores resulta-me por vezes num valente "Porra!", resulta sim senhor) arrisco: 

"Baby?!?!! A quem é que tu ouviste isso?". 

Responde-me ele... 

"Ao Godigo da escola!". 

Continuo eu, sem vacilar e a pensar na sorte que tinha acabado de ter: 

"Ai, ai, ai... Essas coisas não se dizem... E a professora não ralhou com o Rodrigo?". 

"Galhou!", respondeu ele. "Pois ralhou, porque isso não se diz..."

(...)

Ufa... Cá beijinho, Rodrigo!

E agora, com vossa licença, vou ali jogar no Euromilhões.

13 comentários:

  1. Pipocante Irrelevante Delirante2 de janeiro de 2017 19:17

    O único ponto negativo nessa história é trocar os gues pelos erres.
    De resto parece normal... claro que se fosse um daqueles baby-bloggers super avançados já usaria a "f" word. Mas ainda vai a tempo, cada criança com o seu ritmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahahahahahahahahah oh poga, PID... Que mau feitio, cagaças...

      Excluir
  2. que o alívio e muita saúde, boa disposição não saiam nunca daí, para irem morar noutro lado.
    bom ano, NM.
    beijinho,
    Mia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A boa disposição não sai que nós temo-la fechada a sete chaves... :)
      Bom ano Mia. :)
      Muitos beijinhos.

      Excluir
  3. Eu não sou pessoa de dizer palavrões, mas demorei vários anos a perceber que "poga" era considerado como tal. Quer dizer, ainda não estou muito convencida por isso de vez em quando ainda me sai.
    Sofia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahahahahahahahahah é agora asneira... É uma asneira fraquinha, pronto.

      Excluir
    2. Pipocante Irrelevante Delirante4 de janeiro de 2017 11:24

      Além de que significa um cacete ou uma moca.
      Aliás, porrada não é asneira...

      Excluir
    3. Sim, sim... "Dar com uma porra na cabeça..." Tenho ideia de facto de porra ser uma asneira moderna.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Ahahahahahah mas nada bate o "caraio" do Júnior (cinco minutos depois encontrei que eu bem me lembrava de ter feito um post... http://calmacomoandor.blogspot.pt/2015/01/as-companhias-as-companhias.html)

      Excluir