sábado, 2 de maio de 2015

E depois parece que sofro daquilo do Tourette, pois claro que parece...

É que fico f@did@, mesmo mesmo f@did@, quando a propósito daquela tragédia em que um carro vindo sabe-se lá de onde ceifa a vida de cinco peregrinos e chegados os companheiros a Mortágua, os companheiros de viagem, aqueles que ficaram cá para contar a história... {Deixai-me respirar que estou mesmo nervosa com esta merda}... Dizia eu que quando chegam os sobreviventes à sua terra, de autocarro e poucas horas depois do sucedido, têm à sua espera logo ali à saída do autocarro, mas mesmo mesmo logo ali, equipas de reportagem de todas as estações de televisão... E as pessoas quase têm de pedir licença que, cum c@r@lho, querem passar. E a mim sobem-se-me uns calores... Que se lá estivesse lembra-me que destava a atirar calhaus àquela cambada de abutres, filhos de uma grandessíssima meretriz...

Tinham de estar lá... Claro que sim... Os animais... Filmar os gritos de desespero e os abraços e a emoção de quem ainda não sabe muito bem o que aconteceu. Vale tudo menos tirar olhos. É que isto contribui de c@r@lho para perceber o que aconteceu. Pois então não contribui? É isso e informar que o que sobreviveu daquele ataque em Vila de Conde em que um doido - seu pai, lhe matou toda a família "teve que ser amparado várias vezes" durante o funeral...

Puta que os pariu... Quando não se respeita isto, quando não se respeita a dor na morte, não se respeita nada... Cambada de abutres! Devem ter orgulho no jornalismo de excelência que fazem.

ABUTRES! Todos! Cuspia-lhes em cima. Juro que cuspia.

18 comentários:

  1. Querida NM,
    Não sabendo dar a notícia, há quem tente fazê-la. Tal como quem despreza a informação e gosta das novidades. Como se sente substitui com êxito os quê, quem, quando e porquê.
    Um pacote de Reese's é o melhor remédio para essa coisa a que chamou tourette.
    Beijo,
    Outro Ente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outro Ente!
      Neste caso nada tem a ver com notícia. Nada . Estiveram no local do acidente, fizeram gráficos a explicar como foi e deixou de ser, estiveram no hospital... Nada se acrescentou à notícia. Rigorosamente nada. Foi só aproveitamento do sofrimento alheio. Porque vende. E se vende faz-se!... E isto deixa-me doida... Nem com os Reese's lá vou, mais depressa resultava um saco de boxe.
      Um beijo.

      Excluir
  2. Obrigada por teres dito que senti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito triste isto...
      Um beijo meu doce.

      Excluir
  3. Por cada vez que eles fazem a pergunta "como é se sente perante a morte do seu familiar" devia haver uma alminhas, cuja única função seria dar-lhes um valente pontapé no meio das pernas ... acho que até os abutres são seres mais sensíveis do que estas pessoas de micro na mão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que isto vende... Há pessoas que não têm pudor em ver a dor alheia, mais que não ter pudor consomem-na avidamente. É uma tristeza...

      Excluir
  4. Metem-me nojo. È exatamente isso, como disseste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem sei que te causa asco. Estas "coberturas jornalísticas" e outras, nomeadamente o apregoado "superior interesse da criança". Bem sei...

      Excluir
  5. É o tipo de jornalismo que espero nunca fazer. De uma falta de sensibilidade atroz...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. S*, eu percebo que, enfim, um jornalista em início de carreira (ou nem tanto assim) faz o que lhe mandam fazer, pelo que a culpa nem é tanto dos que lá estão (ainda que haja maneiras e maneiras de fazer as coisas, mesmo estando lá no local e tendo de fazer qualquer coisa). A questão é que se isto fosse condenado socialmente, se as pessoas não consumissem este tipo de qualquer coisa (recuso-me a apelidá-lo de jornalismo) isto não existia.

      Excluir
    2. NM, infelizmente é o jornal que mais vende no país - no que toca ao papel. E a CMTV também tem boas audiências...

      O povo parece que aprecia ver porcaria.

      Excluir
    3. S*... Se fosse só o CM eu já nem comentava. Todas... Estavam lá todas!!

      Excluir
  6. Inspira, expira...
    Mas dou-te razão. Toda e mais uma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Longe vá o agoiro, mas se algum dia ouvires falar de uma maluca que atacou jornalistas em circunstâncias similares... Posso muito bem ser eu!

      Excluir
  7. Eu não vi essa reportagem da chegada dos peregrinos.. mas sinceramente quem chefia e envia estes repórteres por muito que seja o seu trabalho.. será que já perderam alguém?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina o que é perderes alguém repentina e tragicamente, teres de lidar com essa dor e teres uma câmara encostada à cara... Como é que alguém achas isto razoável? Pah.. Só à lambada...

      Excluir
  8. O problema desta merda, é q vende (e dá audiências). Em suma, o problema é o cidadao q abranda p ver o acidente na faixa oposta ( e q tb gosta da casa dos segredos)...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me... (Caramba .. Nem ideia de ter aprovado este teu comentário... Acho que estou a ficar senil! :D)
      A mim não é a curiosidade de saber o que aconteceu que me mete impressão... O que me aflige é a falta de respeito pela intimidade alheia quando as pessoas estão claramente fragilizadas... É esse tipo de desrespeito que me incomoda tremendamente...

      Excluir