sexta-feira, 8 de maio de 2015

Marcamos a primeira ovação em pé a nível nacional para que horas, hum?!

"Conseguimos infligir um dano de trinta milhões de euros na companhia..."


Parabéns a vós! A sério!... Mais uma prova que o trabalho árduo e sério compensa sempre. Um exemplo. Sois um exemplo para todos nós.

18 comentários:

  1. Inspira, expira, inspira, expira...
    Estou nisto desde o jantar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. .... Acho sempre, sempre que me está a escapar alguma coisa. Que não estão a contar a história toda nos media. Que as pessoas não podem ser assim tão estúpidas. Mas desta vez está-se-me a estreitar o caminho para o benefício da dúvida.

      Excluir
  2. Era dar-lhes com um pano encharcado!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Querida NM,
    Um avantesma estuporado.
    Boa noite,
    Outro Ente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Outro Ente,
      Não alcanço como é alguém fica feliz em prejudicar a casa que lhe dá o pão. Ultrapassa-me.
      Bom fim de semana.

      Excluir
  4. Acabei de ler a notícia e fiquei estupefacta a pensar na escolha verbal "conseguir" e "inflingir" tendo em conta o seu grau de intencionalidade...
    Se calhar, se trabalhassem numa minha estabeleceriam outro tipo de objectivos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. O "Conseguimos" então é sintomático...

      Excluir
  5. Era um pano encharcado nas trombas. E nas costas. E nas pernas. E depois é pô-los a pilotar um monta cargas. Ou despedi-los. Pura que os pariu a todos, eles a brincar às greves porque querem passar de trabalhadores a accionistas e eu a pagar. Já disse puta que os pariu?

    ResponderExcluir
  6. Para além dos dias de greve, mais férias e descanso ... Ah, e como pude observar in loco a vida dura de uma tripulação TAP em Maputo, nos dias entre a ida e o regresso dos voos ... A luta só tem de continuar!! Infligir é a palavra de ordem!

    ResponderExcluir
  7. Eu gostaria extremamente de lhe apresentar a demissão por justa causa.
    Digo eu que acho que, em qualquer empresa privada, um empregado/grupo de empregados que desse 30 milhões de €€€ de prejuízo teria esse mesmo fim... Não lhes dou beneficio da dúvida nenhum e cada vez mais acho que a TAP deveria ser vendida o quanto antes, antes que eles nos enterrem ainda mais e venhamos a ter que pagar bem caro para alguém nos livrar da batata quente que a TAP é para o sistema financeiro português.
    Não sei que raio de vantagem tem essa empresa para nós ou que tipo de empresa estratégica é essa que tanto falam... acham que ou andam com as palas de burros ou então sou eu que não percebo nada de finanças e gestão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ver se percebi: a greve seria justa causa para despedimento, caso causasse prejuízo. ´Sendo que não há nenhuma greve que não cause nenhum prejuízo (a ambas as partes), justa causa seria a própria greve. É isso mesmo, não percebes mesmo nada de finanças nem de gestão. Nem dos direitos dos trabalhadores, acrescento eu.

      Excluir
    2. Claro anónimo das 17:09. Tem toda a razão. Eu até acho que 10 dias de greve é pouco. Deviam ter feito três meses. Agora já só pegavam ao serviço em setembro, no início do ano lectivo... É claro que antes disso mandavam a empresa, que é de todos, definitivamente ao charco, mas o que é isso face aos direitos de, sei lá, 5% dos trabalhadores dessa empresa (e isto sou eu a nivelar por cima) cuja média de salários é de 6000€/mês (contas a 14 meses).
      Tem razão anónimo (17:09) tem toda a razão... Os direitos dos trabalhadores acima de tudo.

      Excluir
    3. É um direito de qualquer pessoa fazer greve da mesma forma que tem deveres. Mas esquecem-se rapidamente dos deveres. Eles estão a destruir a empresa, nenhuma empresa se aguenta. Em qualquer empresa privada isto seria impensável pois qualquer trabalhador sabe que, se a empresa perder milhares vai ao charco.
      Aqui eles estão à espera que o Estado lhes pague a greve! Estão à espera que sejam injectados milhares para fazer face às perdas que atingiram!
      Uma qualquer empresa privada não conseguiria mais financiar-se, abria falência e perdiam todos!
      Eles simplesmente perderam a noção do ridiculo e dos limites porque acham que o dinheiro nasce nas árvores e têm direito a tudo! Aliás eles demarcam-se dos restantes portugueses. E eu pergunto: Onde é que na Constituição fala de portugueses de primeira e de segunda?

      Aliás eles nem sequer fazem greve como os outros: porque eles não perderam nada! Eles estão a receber na mesma ordenado! Assim eu também faço greves até meses a fio! Não custa nada!
      Eles querem é os direitos todos e deveres nada!
      Suponho que trabalhe na TAP, não? Parece... ou então acha que o dinheiro nasce das árvores [como eles] e que todos os portugueses têm que os manter, quer trabalhem quer se armem em putos a fazer birra.

      Os ordenados são muito superiores ao de qualquer piloto de qualquer outra companhia, o serviço é médio comparado ao de outras companhias. Eles acham que podem tudo e até agora têm conseguido. Não há justificação possível para os ordenados tendo em conta o trabalho prestado e a qualidade do serviço. Não há.

      Por mim era despedi-los por justa causa, sim. Estão a acabar com a fraca situação económica daquela empresa, estão a criar as condições ideais para ela ser vendida a preço de saldo e ficarem todos os portugueses a pagar estes 30 milhões... (mas eles continuam a receber 6000€/mês quer façam greve e fiquem em casa a fazer nenhum ou não).
      Esta gente não tem noção de nada e não valem nada como trabalhadores. Isto só acontece porque têm tido excessivas condições e já se aperceberam que as mesmas não se vão manter, para além disso, eles querem direitos que não lhes são devidos! Que raio de direito têm eles a mais que todos os outros portugueses que descontam para o Estado? Vamos fazer de todos os portugueses accionistas de todas as empresas nacionais?

      Ps: Conhece mais alguém que faça greve e isso não lhe saia do ordenado? Eu não.

      Excluir
    4. (Percebeu que eu estava a ser irónica, não percebeu?)

      Dou-lhe toda a razão. Mas não sei se o despedimento seria constitucional. Uma pena se não for, digo-lhe já. Uma pena e uma injustiça. Os pilotos representam uma fração mínima dos trabalhadores da empresa. Não têm o direito (moral pelo menos) de a destruir assim.

      Excluir
    5. NM desculpa eu sei que não fui clara na resposta mas não era para si era para o anónimo das 17.09h.
      Eu percebi que estava a ser irónica.

      Excluir
    6. Ao cuidado do primeiro anónimo:
      Naturalmente q a greve n poderá, nunca, ser motivo p despedimento (ainda q a mm seja ridícula, como é o caso desta).
      O q me parece vergonhoso, é q este senhor venha dizer o q disse, da maneira q o disse. Conseguimos?? Conseguimos??
      Acha normal q digam isto?
      Ter dito q "lamentavelmente isto ja gerou um prejuízo de X à empresa, pq o estado n acedeu, lamentamos pelos colegas" era uma coisa, mas dizer isto, assim???
      Acha noção.
      Se calhar foi o consultor financeiro, a quem ja pagaram 1 milhão, q lhes deu estes dados financeiros tão bons, de forma tão animada!

      Excluir
  8. Eu sugiro q ele diga isso a bater, em simultâneo, no peito! Assim mm chei, cheio de orgulho.
    Sugiro igualmente q os restantes trabalhadores da TAP...bom, é melhor calar-me

    ResponderExcluir